Meio Bit » Games » A liberdade que encontraremos no Metal Gear Solid V: The Phantom Pain

A liberdade que encontraremos no Metal Gear Solid V: The Phantom Pain

Konami divulga vídeo em que mostra as muitas maneiras de executarmos uma mesma missão no Metal Gear Solid V: The Phantom Pain e deixa muita gente louca para pôr as mãos no jogo.

09/07/2015 às 10:02

metal-gear-solid-5

Como era de se esperar, a Konami aproveitou a E3 deste ano para mostrar um pouco mais do Metal Gear Solid V: The Phantom Pain, jogo que tem tudo para se transformar em um dos maiores lançamentos deste ano e até passar a figurar nas listas de melhores de todos os tempos.

Durante 40 minutos pudemos ver o Snake se esgueirando pelos cenários e fazendo o possível para passar despercebido pelos inimigos, impressionando principalmente pela complexidade da jogabilidade que será oferecida ao jogador. Muitos então passaram a se perguntar se poderiam executar as missões de outras maneiras e aqui está a resposta, mas primeiro vamos à demonstração:

KONAMI573ch — E3 2015 GAME PLAY DEMO | METAL GEAR SOLID V: THE PHANTOM PAIN (EU) PEGI

Há de se dizer que só este vídeo já seria suficiente para deixar uma enorme quantidade de pessoas loucas para colocar as mãos no jogo, mas Hideo Kojima havia prometido que o jogador poderia realizar diversas abordagens a um mesmo problema e para provar o que estava falando, uma nova demonstração foi disponibilizada.

Nela é mostrado quatro tipos de investidas: na primeira o jogador conta com a ajuda da Quiet, sniper que incapacitará os inimigos a distância. Na segunda a aproximação é mais agressiva, com um pesado ataque vindo de um helicóptero e continuando com um grande tiroteio. O terceiro por sua vez nos apresenta o bizarro braço biônico do protagonista, que pode ser utilizado como um míssil guiado remotamente. Por fim, temos a maneira discreta de executar a missão, com Snake utilizando a emblemática caixa de papelão para se esconder.

GameSpot — Metal Gear Solid V - Freedom of Infiltration Gameplay Demo (English Language)

Na minha opinião, o importante em ambos os vídeos é a confirmação de que caberá ao jogador decidir como chegará ao objetivo, o que considero sensacional e gostaria de ver com maior frequência na indústria, pois além de incentivar as pessoas a refazerem as missões, considero que a falta de “trilhos” aumenta muito a imersão.

O problema agora é que decidi que não jogarei o The Phantom Pain antes de terminar os capítulos anteriores da franquia e como só fiz isso com os dois primeiros, certamente demorará um bom tempo até que eu possa experimentar toda essa liberdade.

relacionados


Comentários