Meio Bit » Games » Twitch volta atrás (em partes) em suas mudanças polêmicas

Twitch volta atrás (em partes) em suas mudanças polêmicas

Após reclamações, Twitch elimina limite de tempo de duração e armazenamento dos Highlights e introduz botão de apelação para o caso de vídeos mutados

11/08/2014 às 16:00

twitch-logo

Depois do sururu causado pela divulgação de uma série de mudanças em seu serviço de streaming (o que deixou muita gente descontente), o Twitch meio que reconheceu que pegou pesado e voltou atrás, ao menos em alguns aspectos que mais incomodaram seus usuários.

Uma das alterações mais polêmicas dizia respeito aos highlights, os vídeos editados a serem armazenados no serviço. A mudança dizia que além de serem limitados em apenas duas horas, o período em que eles ficariam salvo não mais seria eterno: para usuários gratuitos eles seriam armazenados por apenas uma semana, e pacotes de 14 a 60 dias seriam disponibilizados a assinantes. Depois de um sem número de apelações o Twitch resolveu voltar atrás, derrubando tanto o limite de duração quanto o prazo em que ele ficará armazenado. Portanto, ao menos os highlights voltaram ao ponto de partida.

Já a verificação dos vídeos armazenados atrás de material com copyright não caiu, mas passará por mudanças. Em primeiro lugar, o Twitch reconheceu que não soube informas sobre as mudanças de modo claro, o que levou as pessoas a pensarem que o áudio será mutado mesmo em streaming de games, o que não faz sentido nenhum.

Consertando a burrada em partes, foi explicado que a varredura diz respeito a músicas fora dos jogos ou seja, áudio captado externamente. Trocando em miúdos, quem fornece VODs (Videos on Demand) através de seu canal serão os únicos afetados nessa história, e não streamings de jogos. Ainda assim, para dar a oportunidade aos usuários reclamarem ao que pode vir a ser uma remoção do áudio indevida o Twitch introduziu um "botão de apelação", já que o próprio serviço reconhece que o recurso não é perfeito.

Caso essas mudanças tenham sido introduzidas como forma de preparar o terreno para o Google assumir o serviço (caso a aquisição seja mesmo real), é possível que esse movimento tenha efeito apenas de tranquilizar o público ao invés de atochar uma série de restrições de uma vez, o que pegou muito mal. Todos sabemos que Mountain View anda de mãos dadas com a indústria do copyright, e num cenário onde o Twitch se torne o co-irmão do YouTube dedicado a games, dificilmente ele será isento de ações para eliminar material com direitos autorais.

Fonte: GS.

relacionados


Comentários