Meio Bit » Hardware » Trava de região do Galaxy S5 é ainda mais chata que a do Note 3

Trava de região do Galaxy S5 é ainda mais chata que a do Note 3

Trava de região do Galaxy S5 é ainda pior que a do Note 3: usuário será obrigado a ativá-lo com chip da região do aparelho e fazer cinco minutos de ligações

6 anos atrás

galaxy-s5

Quando a Samsung introduziu a famigerada trava de região no Galaxy Note 3 e em aparelhos fabricados a partir de julho muita gente chiou, e com razão. Se pegarmos apenas nossa realidade de smartphones caros pra dedéu, adquirir um dispositivo fora do país é um negócio bem lucrativo. Claro, há a ameaça do SIGA no horizonte, mas no geral trazer gadgets de fora sempre foi um bom negócio.

Só que por algum motivo escuso a Sammy não gosta disso, e resolveu dificultar a vida de importadores. A trava original do Note 3 é contornável de fato, embora dependa que o usuário ative seu foblet com o chip da região à qual o aparelho foi designado na primeira vez que o utilizar. Caso ele importe o aparelho diretamente ele será obrigado a apelar para a assistência técnica, pois chips daqui não ativariam aparelhos de fora no primeiro uso.

Hoje o Galaxy S5 está chegando às lojas de todo o mundo (menos Brasil, o lançamento oficial é amanhã. Sabe como é: sábado, Shopping Centers lotados... essa é a posição oficial da Samsung Brasil). e os compradores descobriram que a Samsung piorou o que já era algo deveras chato: agora para destravar o aparelho você precisa não só ligá-lo pela primeira vez com o chip da região à qual ele foi designado, mas realizar ligações por cinco minutos ou mais.

galaxy-s5-box-advertising-region-lock

Eis o que se lê no selo da caixa incluso na versão europeia (ao menos a Sammy se deu ao trabalho de deixar tudo explicadinho):

Modelo Europeu: este produto deve ser ativado com um cartão SIM de uma operadora local europeia (a saber União Europeia, Suíça e países não-signatários da UE: Albânia, Andorra, Bósnia e Herzegovina, Macedônia, Mônaco, San Marino, Sérvia e Cidade do Vaticano). Para usar cartões SIM de outras regiões é preciso realizar chamadas cumulativas acima de cinco minutos com um cartão SIM de uma operadora europeia.

A questão principal é: por que raios a Samsung está se dando a esse trabalho?

O mercado cinza não deveria incomodar a fabricante já que ela está lucrando de qualquer forma, então há a possibilidade de que ela está fazendo isso para agradar operadoras e governos que perdem dinheiro com importações, forçando o usuário a comprar seus gadgets no mercado interno e movimentar sua própria economia (Brasil quem?) Esse método atrapalha muito a importação individual, pois o usuário não conseguirá ativar o aparelho com um chip daqui. Que vai comprar fora não sofre desse problema, desde que o ative com um chip local antes de voltar para cá. Claro, sempre há o pessoal do XDA Developers, que trabalha para criar soluções que contornam esse problema chato de galocha.

Fonte: AC.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários