Meio Bit » Games » Remote Play do PS4 ameniza sofrimento de criança hospitalizada

Remote Play do PS4 ameniza sofrimento de criança hospitalizada

Internado em um hospital, o pequeno Feliz tem passado seu tempo jogando o PlayStation 4 que está em sua casa a mais de 1.000 km de distância. O segredo? Um PS Vita e uma função que o console possui conhecida com Remote Play.

28/04/2014 às 14:30

felix-morais

Quando a Sony lançou o PlayStation 4, uma das funções mais interessantes que o console trazia era o Remote Play, que basicamente nos permite jogar no PS Vita qualquer game lançado para ele. Embora o recurso funcione muito melhor quando os aparelhos estão ligados na mesma rede, ele pode ser utilizado pela internet, permitindo que a pessoa jogue mesmo estando bem longe do videogame.

Para muitos, essa possibilidade não passa de um bônus, uma maneira de aproveitar alguns joguinhos enquanto está numa viagem, mas para o pequeno Felix Morais Harvey, o Remote Play tem sido uma excelente maneira de amenizar seu sofrimento.

Internado em um hospital a mais de 1.000 km de sua casa, o garoto de 9 anos sofre de um problema digestivo que o obriga a passar longos períodos sob supervisão médica e percebendo que o moleque estava entediado (quem não ficaria?), seu pai teve a ideia de testar a função e embora tenha enfrentado alguma dificuldade no início, agora a criança consegue jogar o Infamous: Second Son sem muitos problemas.

A história ganhou notoriedade depois que o pessoal da Sucker Punch retwittou uma foto do Felix enquanto jogava o título deitado na cama do hospital e embora ele tenha entre seus favoritos jogos que qualquer criança adoraria, como LittleBigPlanet, Disney Infinity e Ratchet & Clank, a admiração pelo Infamous não chega a surpreender, afinal estamos falando de um garoto que tem o Deadpool como herói favorito e na música gosta de jazz e punk rock.

O pai do menino faz questão de dizer que esse período no hospital não é aproveitado apenas jogando, já que ele recebe a visita de um professor particular para que seus estudos permaneçam em dia, mas mesmo que alguns possam argumentar que ele já deveria se dar por satisfeito em ter um Vita nas mãos, é sensacional ver como a tecnologia pode permitir que uma situação tão adversa possa se tornar um pouco menos sofrível e aqui não estou me referindo a ter alguma diversão enquanto você vai ao banheiro.

Fonte: Dualshockers.

relacionados


Comentários