Meio Bit » Indústria » Mozilla acusa Dell de cobrar pela instalação prévia do Firefox

Mozilla acusa Dell de cobrar pela instalação prévia do Firefox

De acordo com a Fundação Mozilla, a Dell estaria cobrando pela instalação do Firefox em equipamentos da empresa vendidos pela loja online no Reino Unido. A empresa alega que o valor é para cobrir o custo da personalização do equipamento.

06/03/2014 às 17:40

dell_uk_firefox

Se há uma coisa que me divertia, era ficar olhando o simulador da Dell para montar equipamentos absurdamente potentes e, claro, muito caros. Apesar de eu achar muito pouco provável que um leitor do MB nunca tenha simulado nada lá, para quem não conhece, o sistema permite que o usuário personalize quase que completamente um computador do processador ao teclado, passando pela memória, HD e mouse. A cada novo item, o valor subia. Subia. Subia. Subia. Essa era a diversão: ver como eu era pobre e nunca poderia comprar um equipamento daqueles.

Voltando ao simulador e deixando a minha situação financeira de lado, ele é, de fato, muito interessante. Comprar por lá (cheguei a comprar alguns servidores para a empresa na qual trabalhava) era completamente diferente de pegar uma máquina pronta, de uma marca pseudo-conhecida, em um varejista desses da vida. A Dell permitia que os usuários comprassem, junto com o equipamento, o próprio OS, antivírus, suítes de produtividade, até navegadores. Mas hein?

Bem, na verdade, nunca cheguei a ver qualquer navegador sendo vendido lá, mas a Mozilla não anda muito feliz com o que a Dell anda fazendo no Reino Unido. De acordo com a Fundação, a empresa está oferecendo, entre os itens de customização dos equipamentos, a instalação prévia do Firefox por… £ 16,25. Isso mesmo, R$ 52 para que o seu próximo hiper-mega-ultra computador já venha com o Firefox instalado. Se ainda fosse o Chrome…

Ao The Next Web, a Mozilla afirmou que a Dell ou qualquer outra empresa/pessoa não tem autorização para cobrar pela instalação do seu navegador. Muito menos por um valor tão absurdo. Abaixo, em ingrês, parte da política de uso da marca registrada da Mozilla que foi enviado ao pessoal do TNW:

If you are using the Mozilla Mark(s) for the unaltered binaries you are distributing, you may not charge for that product. By not charging, we mean the Mozilla product must be without cost and its distribution (whether by download or other media) may not be subject to a fee, or tied to subscribing to or purchasing a service, or the collection of personal information. If you want to sell the product, you may do so, but you must call that product by another name—one unrelated to Mozilla or any of the Mozilla Marks. Remember that we do not want the public to be confused.”

A Dell, é claro, tirou o seu da reta e negou cobrar pelo Firefox. De acordo com a empresa, a cobrança não ocorre pelo navegador, mas, sim, pela trabalho de instalação. Entendeu? Não? Bem, segue a explicação da empresa:

Neste caso particular, o cliente não é cobrado pelo download do Mozilla Firefox. O que se paga é uma taxa para cobrir o tempo e o trabalho empenhados pelo pessoal da fábrica para inserir uma imagem diferente da que é fornecida com a configuração padrão do sistema.”

Confesso que a Dell foi muito esperta ao abordar a situação dessa maneira. Se a Mozilla engulirá ou meterá um processo para que a fabricante deixe de instalar (ou, ao menos, de cobrar) o navegador nos computadores, o tempo nos dirá. Mas, de tudo isso, o que é certo é que um usuário tem que ser muito burro ou ingênuo (ou rico) para pagar tanto por algo que pode obter gratuitamente nas interwebs.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários