Meio Bit » Ciência » É fantástico: grupo cria supercondutor e quebra recorde de dez anos

É fantástico: grupo cria supercondutor e quebra recorde de dez anos

Outro dia, outro avanço no ramo dos supercondutores, mas desta vez levou dez anos. Cientistas de Cambridge conseguiram quebrar um recorde japonês e criaram um supercondutor capaz de manipular um campo magnético recorde, superando o recordista de 2003 em 0,4 T.

03/07/2014 às 9:16

oleonegro

Supercondutor em levitação magnética sendo atingido por um jato de ferrofluído.

A supercondutividade é um daqueles fenômenos físicos que a gente sabe como gerar, usa direto, depende dele diariamente em equipamentos como máquinas de Ressonância Magnética, mas os detalhes ainda fogem de nossa compreensão.

As propriedades de algumas substâncias quando muito resfriadas são… estranhas. Em alguns casos se tornam supercondutores, apresentando resistência elétrica zero. Transmitem energia sem perda nenhuma. Também apresentam o chamado Efeito Meissner, que ocorre quando o objeto supercondutor passa a repelir campos magnéticos. Como resultado temos… levitação.

O Santo Graal da supercondutividade é manter o efeito em temperatura ambiente. Quem conseguir isso tem um Nobel garantido, além da gratidão de todas as indústrias do planeta. SE for possível será uma revolução nunca vista. Para começar todas as molas serão substituídas por supercondutores, trens abandonarão as rodas e serão todos MagLevs, sem o custo imenso de energia dos trens levitadores de hoje. Você terá placas na parede e pendurará seus gadgets levitando, como um Post-It 3D.

O mais complicado de entender é que essa levitação magnética não é um simples imã, o supercondutor não está repelindo um polo. Não é um barco chato deslizando na lama. É uma pedra DENTRO da lama, que seria o campo magnético em volta. Veja o vídeo abaixo faz sentido se você imaginar um tubo de lama invisível e o supercondutor dentro dele:

Esse sonho ainda é distante, claro, mas aos poucos estamos avançando. Foi o que conseguiu um grupo da Universidade de Cambridge. Utilizando uma liga de óxido de cobre bário e gadolínio, produziram um supercondutor da categoria de alta temperatura, acima do ponto de ebulição do nitrogênio, – 196 °C. Isso por si só não é novidade, mas o condutor criado encapsulou um campo magnético de 17,6 tesla. Os ímãs do LHC tem potência de 8 T.

Esse recorde superou o anterior, de 17,2 tesla; estabelecido em 2003 por cientistas japoneses. Esperemos que não levem tanto tempo para quebrar o recorde atual.

O trabalho foi publicado na edição atual do periódico Superconductor Science and Technology.

Fonte: GG.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários