Meio Bit » Mobile » A última do Snowden: NSA tem acesso total ao iPhone desde 2008

A última do Snowden: NSA tem acesso total ao iPhone desde 2008

Segundo denúncia do ex-técnico da NSA, spyware DROPOUTJEEP desenvolvido em 2008 permite à agência assumir controle total do iPhone silenciosamente.

7 anos atrás

iphone-nsa

Você não pensou que o ano de 2013 acabaria sem mais algumas pílulas da NSA, pensou?

Há alguns dias atrás a bomba da vez foi o fato de que a NSA, em sua nobre missão de combater o terrorismo em todo o mundo não se dá ao luxo de esperar que as pessoas entrem na internet para espiá-las. A revista alemã Der Spiegel conseguiu colocar as mãos num documento que prova que a uma divisão da agência norte-americana é especializada em interceptar carregamentos de hardware de empresas como Cisco, Dell, Huawei e Juniper, instalar backdoors físicos ou lógicos e com isso conseguir acesso remoto a esses dispositivos. Como se não bastasse a revista, que também teve acesso aos documentos vazados por Edward Snowden também acusou a NSA de monitorar relatórios de erros automáticos do Windows e até mesmo de capturar informações de um cabo submarino que lica a França à Tailândia, além de Europa, norte da África e Oriente Médio.

A última do ano mira na Apple. Apesar dela fazer parte do acordo PRISM desde 2012, é mais do que certo que a empresa tenha sido contra instalar qualquer tipo de backdoor no iPhone. Isso não impediu entretanto da NSA desenvolvê-lo e implantá-lo. Em 2008.

Documentos vazados nessa segunda mostram que um ano depois de ser apresentado ao mundo, a NSA desenvolveu um programa chamado DROPOUTJEEP que simplesmente entrega o controle total do iPhone para a agência: de forma silenciosa ela tinha acesso à lista de contatos e posição do usuário via GPS podia ler e interceptar SMS, ouvir mensagens de voz e acionar remotamente a câmera e o microfone do smartphone. Assim como no caso revelado pela Der Spiegel,  possível que a NSA tenha interceptado carregamentos de iPhones e instalava o programa com 100% de eficácia. Também era possível transferir remotamente o programa de um iPhone infectado para um sadio, como uma verdadeira gripe espiã.

iphone-nsa-001

O especialista em segurança Jacob Applebaum não acredita que a Apple tenha facilitado o acesso à NSA, já que ela aderiu ao PRISM somente um ano após a morte de Steve Jobs. Entretanto ele não descarta a hipótese de que ela já estivesse colaborando, pois o nível de acesso é profundo demais para ser um trabalho unilateral e em tão pouco tempo. Claro, não duvidem da capacidade técnica dos especialistas da agência, mas nenhuma possibilidade está sendo descartada.

O pior de tudo é que apesar de todas as reclamações e denúncias, para o governo americano é apenas mais um dia de trabalho. Na semana passada um juiz do distrito de Nova Iorque decidiu que a espionagem de telefones realizada pela NSA, tanto dentro como fora dos Estados Unidos é legal, alegando que os dados não foram capturados com outra intenção que não fosse o combate ao terrorismo.

Com isso fica evidente que a agenda da NSA é bem ampla e não existe praticamente ninguém fora de seu alcance. Entretanto como a agência não sabe quantos e quais documentos Snowden, atualmente o "cara da informática" da Mãe Rússia colocou a mão, a possibilidade seria de negociar uma anistia de modo a proteger arquivos mais sensíveis. Por outro lado, o Departamento de Estado americano e o próprio presidente Barack Obama já mandaram o recado que ele deve se entregar e apresentar seu caso, seguindo os meios legais. Porém como ele é considerado traidor da nação já sabemos como isso iria acabar: numa solitária.

Fonte: Slash Gear e Phone Arena.

relacionados


Comentários