Meio Bit » Cultura » Rebecca Black e os caminhos para a fama na internet

Rebecca Black e os caminhos para a fama na internet

O sucesso de Rebecca Black com seu clipe Friday no YouTube nos fala sobre os novos e tenebrosos caminhos para o sucesso musical na web.

21/03/2011 às 11:14

rebecca-blackNa semana passada dois vídeos explodiram na web com uma grande força viral. Um deles foi o do garoto Casey Heynes, agora famoso na rede como “o pequeno Zangief”. Ele foi alçado à fama após revidar com um perfeito pile drive as agressões de um bully nos corredores da escola.

O sucesso do vídeo é explicado pela própria universalidade do tema (vítimas de bully estão por toda parte, no mundo inteiro) e pela surpreendente virada que exibe. Em um momento Casey está acuado, recebendo socos e zoações quando, de repente, ele resolve reagir e o faz em grande estilo.

O caso de Casey não nos diz muita coisa sobre os caminhos para a fama na internet porque não foi planejado. Ele muito provavelmente nem sabia estar sendo filmado. Rebecca Black, por sua vez, tem o seu sucesso oriundo de uma estratégia bem sucedida.

Rebecca Black é uma garota de 13 anos de idade que sonha não apenas ser cantora, mas se tornar uma pop star. Na tentativa de realizar o sonho da menina, seus pais procuraram  uma empresa que se propõe justamente a criar estrelas pop usando o YouTube como instrumento: a ARK Factory.

Cobrando US$ 2 mil pelo trabalho, a ARK produziu um vídeo que já conta com mais exibições no YouTube do que Born this way, da Lady Gaga. São 26 milhões de exibições para o clipe da garota contra 22 milhões para da “concorrente”.

Musicalmente, se é que posso usar esse termo pra coisas desse gênero, a menina se insere no mesmo nicho de Justin Bieber e compartilha com esse muitas características. A maldita musiquinha é capaz de grudar na sua cabeça por mais que você a odeie. Parece que, quanto mais aversão você sinta pela coisa, mais ela se entranha na sua memória auditiva. Não existe na “música” de Rebecca nada que a faça pior do que qualquer grande hit de Bieber, até porque esse tipo de comparação não pode ser estabelecida. É como discutir se enfiar um parafuso incandescente no seu ouvido é melhor ou pior do que derramar umas gotas de ácido sulfúrico nele.

A grande lição do caso Rebecca Black consiste exatamente no sucesso atingido por um clipe musical que foi planejado para viralizar-se. A ARK Factory combinou a maneira desajeitada com que a menina interage com a câmera com outros elementos que dão ao vídeo requintes de tosqueira a favor da construção do meme, que é bastante auxiliado pela maldita tendência que a musiquinha tem de grudar na cabeça das pessoas. A esmagadora maioria das avaliações são negativas e os comentários são uma enxurrada de xingamentos, mas mesmo assim o vídeo está cumprindo o seu papel de alçar a carreira da garota e já passou a ser comercializado na iTunes Store.

A lição dada é que o sucesso “musical” através da internet pode ser planejado e pode vir muito rápido. Necessita-se apenas de um pequeno investimento e de uma grande disposição para pagar mico, mas se no mainstream também muita gente tá pagando mico, quem vai julgar os estreantes?

Respirem fundo. Com vocês, Rebecca Black:


Friday - Rebecca Black - Official Music Video

Fonte: Tech Crunch.

relacionados


Comentários