Meio Bit » Mobile » Qualidade dos apps no Android Market é patética, segundo desenvolvedor

Qualidade dos apps no Android Market é patética, segundo desenvolvedor

Representante da Mika Mobile, responsável por Bettleheart, publica no blog da empresa um texto polêmico onde fala da carência do Android Market por apps de qualidade e dos problemas em oferecer suporte técnico na plataforma.

24/06/2011 às 9:00

patetaMika Mobile é a empresa por trás do game Battleheart, título bem-sucedido tanto no Android quanto no iOS. Após comparar a receptividade do público e da crítica nas duas plataformas, a empresa deu uma declaração contundente, segundo a qual “um produto polido, de alta qualidade, tem mais chances de ser abraçado no Android do que no iOS porque o nível de qualidade no Android Market é pateticamente baixo”.

Essa e outras afirmações polêmicas vieram de uma postagem no blog da empresa. O texto segue argumentando que a base de usuários do Android é faminta por títulos de qualidade. Uma vez que uma soft house ofereça algo realmente bem feito, a recepção do público e da crítica tende a ser calorosa, o que pode fazer com que a lucratividade na plataforma seja maior do que no iOS, onde o padrão de qualidade do que é oferecido na App Store é mais elevado.

O texto segue argumentando com dados sobre a receptividade de Battleheart nas duas plataformas. O título figura entre os top 50 apps do Android Market e não chega sequer entre os top 200 da App Store. A avaliação dos usuários é de 4,8/5 no Android Market contra 4,5/5 na App Store e, segundo o texto, tanto os usuários quanto a mídia especializada apresentam mais disposição para avaliar o título no Android do que no iOS.

O lado negativo da história começa com a enxurrada de e-mails que um desenvolvedor pode ter com reclamações e questões de suporte referentes a um app para o Android. Claro, alguns problemas de compatibilidade podem surgir numa plataforma com uma grande variedade de hardware, entre outros fatores. Quem frequenta o Android Market sabe que, muitas vezes, a ignorância de certos usuários, que simplesmente não sabem o que fazer com o app, resulta em avaliações e comentários negativos (aqui é observação minha, não do desenvolvedor).

Diante disso, nos casos onde surge a insatisfação do usuário, o Android Market costuma dar mais trabalho ao desenvolvedor do que a App Store. Isso porque na loja da Apple todo o sistema de pagamentos e de reembolsos funciona sem a interferência do desenvolvedor, enquanto no Android Market tudo fica ao seu encargo.

Claro, é uma declaração com um enorme potencial de trollagem e que pode jogar combustível numa flame war sem fim. Diante dessa possível reação, o autor editou o texto para conclui-lo argumentando que a sua experiência com a plataforma Android é muito positiva e que os problemas de mal funcionamento do game, em 99% dos casos, se devem a modificações de terceiros sobre  o Android ou a problemas ocasionados por arquivos corrompidos no cartão SD. Pra tacar um pouco de gasolina em tudo, eu incluiria alguns fabricantes de smartphones como responsáveis por essas “modificações de terceiros” que causam incompatibilidades.

Claro, a abordagem da Google e da Apple para as suas lojas  é muito diversa, o que coloca em oposição liberdade e controle. Onde há mais liberdade para a publicação, a qualidade média tende cair, embora  sempre haja espaço para os bons  apps e games. O que pesa para a Google, quando consideradas essas diferenças, é que isso invalida bastante aquela argumentação muito em voga que fala do tamanho e do crescimento das plataformas em termos de números de apps disponíveis. É a velha discussão de “o meu é maior”, mas, nesse caso, todos sabem que o Android tá usando uma bola de meia na cueca.

Fonte: Technology Review.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários