Meio Bit » Internet » Pinboard: ótima alternativa ao Delicious

Pinboard: ótima alternativa ao Delicious

Conheça o Pinboard, uma excelente alternativa ao Delicious, caso esteja insatisfeito com ele.

22/12/2010 às 15:34

Semana passada, quando o rumor do fechamento do Delicious emergiu e antes dele ser desmentido pelo próprio time de desenvolvimento do serviço, saí à caça de um substituto à altura. No intervalo entre os dois acontecimentos, diversos sites aproveitaram o momento e liberaram listas e mais listas de alternativas, o que facilitou meu trabalho.

Dentre todos os serviços consultados, o que me conquistou, sem muito esforço, foi o Pinboard. Desenvolvido por Maciej Ceglowski em julho de 2009, algum tempo depois ele passou a contar com a colaboração de Peter Gadjokov, co-fundador do... Delicious! "Coisa boa deve ser", pensei comigo.

Pinboard: visão geral.

Pinboard: visão geral. (Clique para ampliar)

Os três objetivos do Pinboard, em ordem de prioridade, são:

  1. Jamais perder dados;
  2. Ser ridiculamente rápido;
  3. Oferecer recursos úteis.

E basta uma lida no tour do Pinboard para ver que tudo que um bom serviço de bookmarking precisa ter está presente ali. Ainda sob a ameaça do fechamento do Delicious, naquele mesmo dia cadastrei-me no Pinboard.

A semelhança com o concorrente hoje da Yahoo! é grande, tanto que os próprios desenvolvedores criaram uma página comparativa que ajuda o usuário a decidir-se entre ambos. Nessa quase uma semana usando o Pinboard, digo que a semelhança entre ele e o Delicious é realmente grande, de modo que quem está satisfeito com o Delicious não tem motivos concretos para migrar. Ambos são bons, ponto.

Mas se você é teimoso e quer por que quer ir para o Pinboard, tem algumas coisinhas legais que talvez valham a pena ser conhecidas. Antes, a (única) desagradável: o cadastro é pago. O motivo, porém, é nobre: evitar spammers e mau uso do serviço. O valor do registro aumenta de acordo com a base de usuários, na medida da quantidade de deles * 0,001. Quanto antes você entrar, mais barato paga. Eu gastei US$ 7,99 na brincadeira; hoje, o valor já está em US$ 8,92.

A interface do Pinboard é enxuta ao extremo. A única imagem no layout todo é o ícone do serviço, no título da página, e só. As cores são sóbrias, e há muito espaço vazio. Tudo o que um serviço do tipo pode oferecer, de RSS a buscas diversas, passando por tags, itens privados e destacados, histórico, ferramentas de edição/organização, está lá. O rol de bookmarklets, os atalhos em JavaScript que servem para salvar as páginas que estamos vendo, é amplo, para todos os gostos: formulário completo, em popup, na mesma página, etc.

Bookmarklet do Pinboard.

Bookmarklet do Pinboard. (Clique para ampliar)

Por ser simples, tudo está bem documentado, de forma bem acessível e didática (presumindo que você saiba inglês, único idioma disponível). Se a ajuda não for suficiente, os canais de comunicação são ágeis, da forma que só uma startup pode ser. Mande um tuíte ou um email, e a resposta chega em instantes. Pelo menos na solicitação que fiz por email, fiquei pasmo com a velocidade com que fui atendido.

O Pinboard ainda oferece um plano pago (US$ 25, menos o valor pago no cadastro), que faz cache de todas as páginas salvas em sua conta. Para quem lida com informações importantes e precisa de referências futuras independente da disponibilidade dos sites de origem, é de se considerar.

Embora os principais navegadores do mercado ofereçam sincronia de bookmarks, serviços como o Pinboard e o Delicious se sobressaem pelas ferramentas de organização e localização que oferecem, sem falar no fator social (sim, também dá para seguir e ser seguido no Pinboard). São esses elementos que cativam a audiência desses sites, e fazem com que notícias como o rumor do fechamento do Delicious, semana passada, causem tanta comoção. Se algum dia o Delicious for para o céu da Internet, pelo menos teremos um substituto tão bom quanto, o Pinboard. Para mim, porém, não é preciso tanto; ele já tomou o lugar do Delicious.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários