Meio Bit » Indústria » O amigo do inimigo do meu amigo é meu... sei lá, mas a Microsoft sabe

O amigo do inimigo do meu amigo é meu... sei lá, mas a Microsoft sabe

Empresas competidoras da Microsoft ajudam-na em processo judicial nos Estados Unidos.

05/10/2010 às 15:14

Existe um mundo idealizado onde reina o maniqueísmo. Empresas e pessoas são basicamente boas ou más, o bem é absoluto e inquestionável e os fins, se nobres, justificam os meios. É um mundo onde milhões de soldados são cruelmente assassinados na Estrela da Morte, sem chance de rendição, um mundo onde os heróis Jedis tentam um golpe de Estado para depor um governo democraticamente eleito, um mundo onde o OpenOffice não aceitaria os formatos do Word NEM rodaria em Windows, para não incentivar o uso do famigerado sistema proprietário da maligna Microsoft.

Gostaria de dizer que só George Lucas e Richard Stallman vivem nesse mundo, mas um monte de jovens entusiastas eleitores do Plínio realmente acreditam que é possível classificar o mundo de forma tão monocromática.

Vejam o caso a seguir, por exemplo. A situação das patentes de software nos EUA está periclitante, é algo que afeta negativamente qualquer tipo de inovação. É usado como arma, como o caso da Microsoft processado a HTC e agora a Motorola, querendo uma fatia do mercado mobile, é usada como mecanismo de extorsão pura, como no caso das firmas como a tal Acacia, chamados mui corretamente de Patent Trolls.

A visão preto-e-branco de mundo definiria "Microsoft == malvada" e pronto. Qualquer coisa que acontecesse com ela, bem-feito, é a visão mesquinha da coisa.

No mundo colorido (no bom sentido, não dos fãs do Restart) não dá para deixar sentimentos pessoais interferirem, é preciso ver a coisa como business.

No caso em questão, a Microsoft é a ré, está sendo processada por uma empresa chamada i4i Ltd, que alega ter uma patente que cobra a edição de documentos contendo XML, como o formato OpenXML do Word. A briga já vem rolando faz tempo e o buraco é cada vez mais embaixo.

A Microsoft já mostrou várias vezes que a patente é inválida, mas o tribunal está ignorando uma jurisprudência da Suprema Corte onde sugerem que em caso de patentes a prova de invalidade não precisa ser conclusiva e convincente como em outros casos.

A situação chega a ser ridícula, a i4i não forneceu o código-fonte supostamente patentado, disse que foi destruído. Como a Microsoft NÃO teve acesso ao código, não conseguiu comparar com seu próprio, por isso "não conseguiu provar" que não houve violação. É como eu dizer que alguém kibou um post meu, eu apagar MEU texto e o sujeito ser condenado por não provar que estavam diferentes.

A apelação da Microsoft é que se faça valer a decisão da Suprema Corte, criando assim mais jurisprudência, em algo que será extremamente benéfico para todo mundo que sofre com processos por causa de patentes.

E agora, quem poderá ajudar a Microsoft? Satã? Jack Bauer? melhor: Google e Apple.

As duas empresas apresentaram um documento chamado "Friend of the court". É um instrumento da Justiça Americana onde gente de fora dá pitaco oficialmente em um caso. Com esses dois são nada menos que nove pareceres em defesa da Microsoft, de gente do porte de Facebook, Yahoo e Intel, entre outros.

Mas mas mas não são inimigos?

São competidores, com interesses diversos. Alguns são antagônicos, alguns são convergentes.  No mundo real é assim que funciona. Quem não aceita isso, tem duas possibilidades: Ou vai militar na FSF, ou xingar muito no Twitter.

Fonte: Eweek, EFF.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários