Meio Bit » Hardware » Google revela mais detalhes do Chrome OS e promete notebooks com o sistema para 2011

Google revela mais detalhes do Chrome OS e promete notebooks com o sistema para 2011

Google apresenta o Chrome OS, mais polido e cheio de recursos extras, num modelo de referência para futuros notebooks, o CR-48.

10 anos atrás

Ontem a Google reuniu a imprensa americana em San Francisco para mostrar bastante do aguardado Chrome OS, seu sistema operacional baseado em Linux mas que roda totalmente na Internet — e fora dela, graças à capacidade de trabalhar offline do HTML5.

O Chrome OS é, numa explicação simplória, o navegador Chrome que todos conhecemos desde 2008 transformado em sistema operacional. Tudo acontece nele, os aplicativos, ou Web apps, rodam nele, e diversas tecnologias da Google e de terceiros suprem as lacunas que esse modelo ainda tem.

Bastante seguro e rápido, a autenticação no sistema operacional se dá através de uma Google Account, logo, ao entrar, todos os seus dados tornam-se disponíveis, e o acesso a serviços da Google ocorre automaticamente, sem a necessidade de inserir novamente a senha.

Ainda ontem, dois projetos complementares ao Chrome OS foram revelados, o Google Cloud Print e a Chrome Web Store. O primeiro conecta impressoras à nuvem, possibilitando a impressão direta de computadores e smartphones independente da localização desses. Ainda está restrito ao Chrome Beta, e foi a saída encontrada pela Google para incluir suporte a impressão universal no Chrome OS, e de quebra beneficiar vários outros dispositivos.

Já a Chrome Web Store é a lojinha de Web apps para o Chrome OS que funciona, também, no Chrome convencional, esse do Windows, Mac OS X e Linux, inclusive na atual versão estável (8.0.552.215). A maioria dos "aplicativos" são meros atalhos para sites, mas já há coisas bem legais, como o TweetDeck em HTML5, Write Space e o Web app do The New York Times.

Chrome Web Store

Chrome Web Store. (Clique para ampliar)

A exemplo do que acontece com extensões, os Web apps do Chrome também sincronizam entre múltiplos computadores. Sua "área de trabalho" o acompanhará por todo lugar!

E quanto aos netbooks com Chrome OS? A Google trabalha em parceria com Samsung e Acer, e espera disponibilizar os primeiros modelos comerciais em meados de 2011. Há muito trabalho a ser feito até lá — suporte a dispositivos USB, por exemplo, ainda não existe. Porém...

Ontem mesmo, foi mostrado durante a apresentação o CR-48, modelo de testes sem marca e que dá as linhas gerais do que serão os Chrome notebooks. Veja as especificações:

  • Tela de 12,1"
  • Teclado de tamanho completo
  • Touchpad clicável grande
  • 3G "modo-mundo"
  • WiFi 802.11n
  • Autonomia de 8+ horas de uso ativo
  • Autonomia de 8+ dias em standby
  • Webcam para vídeoconferência

Dois detalhes do modelo-referência chamam a atenção. O primeiro é o teclado, mas não por ser do tamanho de um convencional, e sim pelas alterações em teclas consolidadas que a Google preparou. SABE O CAPS LOCK? Não existe. Em tom de brincadeira, a Google diz que a mudança visa melhorar a qualidade dos comentários na Web 🙂

CR-48, modelo de referência dos Chrome notebooks.

CR-48, modelo de referência dos Chrome notebooks.

Falando sério, a tecla Caps Lock foi substituída por uma chamada "Search", que, você adivinhou, abre o Google (buscador). Mas se você é adepto do JEITINHO XUXA de escrever, existe uma combinação de teclas com a mesma função do Caps Lock...

Além dessa, outra mudança significativa no teclado diz respeito às teclas de função (F1-12), substituídas por funções específicas, como colocar a janela em modo tela cheia. Alguns fabricantes de notebooks já fazem isso em modelos vendidos com Windows, e, pelo menos no sistema da Microsoft, há quem se sinta incomodado com essa quebra de paradigma — eu, por exemplo. Resta saber o quão isso afetará o uso do notebook no Chrome OS.

O outro detalhe interessante no hardware do CR-48, extensível ao próprio Chrome OS, é o fato de que ele, e todos os demais futuros modelos, virão com acesso à Internet via 3G gratuito. Nos EUA, a oferta é pela Verizon, e o limite do plano é de 100 MB por mês, cota que pode ser aumentada através de pacotes, diários ou mensais, com preços que começam em US$ 9,99. É o modelo freemium chegando ao hardware.

Como dito, os primeiros Chrome notebooks chegarão ao mercado na metade do ano que vem. Os planos da Google são ambiciosos, e focam inclusive o mercado corporativo. Como parceiros, para testar o equipamento/sistema em ambiente de produção, estão nomes como Logitech, Kraft, American Airlines e até o Departamento de Defesa americano, um belo indício de que segurança não deve ser problema no Chrome OS.

A Google garante que "existe Web apps para quase tudo", mas será mesmo? Você aposentaria seu notebook com Windows/Mac OS X/Linux em troca de um Chrome notebook, leve, rápido e baseado na nuvem?

relacionados


Comentários