Meio Bit » Indústria » Et Tu, Motorola?

Et Tu, Motorola?

25/08/2010 às 12:10

A Motorola explicou como será feita a atualização dos celulares Android vendidos no Brasil. Digamos assim, a parte que fará contato com os clientes não será a Moto...

Existe um truque secreto para fazer sucesso no Mercado. Pouca gente conhece: Chama-se Pós-Venda. Significa que você não pode rir pelas costas do seu cliente quando ele ainda está na loja, significa que ele não pode ouvir o atendente o chamar de otário na ligação pro Call Centre, e significa que mesmo que o problema não seja resolvido, ele tem que sair se sentindo bem-atendido.

Parece óbvio, mas não é. Eu sei de TODAS as justificativas possíveis para a atendente da Vivo se recusar a passar minha ligação para a área de Internet pq eles "só mexem com smartphones" e eu tinha um Nokia N97, portanto deveria ligar para o fabricante. Não me interessa. É atendimento ruim, despreparado.

Só que pode ser pior, muito pior. Imagine que você todo feliz compra seu celular Android, pq é Livre, não um macfag capacho do Steve Jobs ou um drone corporativo lambedor de Blackberry ou... quem é que compra Windows Mobile mesmo?

Você vai pegar um segundo aparelho no Pré-Pago, fica entre um Motorola Dext por R$1763,00, um Backflip por R$1704,00 ou ousa um pouco mais e pega um Milestone por R$1822,00. Isso hoje, HOJE, preços de HOJE.

Beleza, aparelhos modernos, de linha, com suporte, certo?

ERRADO. O Dext sai com o cretáceo Android 1.5, os outros, também já estão atrasados. A Motorola por sua vez deixou claro com todas as letras que NÃO atualizará os aparelhos para o Brasil.

O Gizmodo correu atrás e cavou uma declaração da empresa com a lenga-lenga de sempre. bla bla bla conjunções de mercado, bla bla bla experiências de uso, bla bla bla whiskas sachê.

Curioso é que se você clicar neste link aqui, do fórum oficial da Motorola, verá que o Milestone por exemplo receberá upgrade para Android 2.2 no MUNDO INTEIRO. Menos na América Latrina.

A Motorola provavelmente vai alegar negociações com operadoras. Claro, afinal as operadoras de Telefonia daqui são completamente diferentes das de outros continentes, certo Telefónica, Telecom Italia Mobile, Vivo, etc... devem ter anteninhas. Pensando melhor não, se tivessem antenas funcionariam melhor.

O que vemos é um caso CLÁSSICO de desrespeito. O mercado latino-americano é considerado de 5a categoria, depósito de lixo. Lembra a Palm quando desovou no país o Palm IIIe, fracasso de vendas nos EUA e anunciado aqui como última novidade, para escárnio da comunidade geek.

Lembra também a Nokia, que depois de processar blogueiros continua atirando no próprio pé ao lançar no BRASIL o N900 com Português de Portugal, mostrando um comprometimento tão grande com o país que não se dá mais ao trabalho nem de localizar o produto.

Eu acredito que não haja nenhuma Lei, mas até por uma questão de Respeito, por uma questão de Honestidade se a Motorola não pretende atualizar nenhum desses aparelhos no Brasil, deveria ter a hombridade (se é que isso se aplica a uma empresa) de interromper sua venda.

Essa profusão de versões do Android, mais a lentidão inaceitável das operadoras e fabricantes em prover atualizações (quando o fazem) podem destruir o bem mais precioso da plataforma: A experiência do usuário. E não, não me interessa que com um simples tutorial de 12 passos (é sério) seja possível instalar o Android Frodo (ou seja lá que caiaiaio chamem a versão) no Dext. Um Hacker Phone NÃO é e NUNCA será um Consumer Phone.

Imagine a frustração: Sujeito compra um aparelho de mil Reais, o preço de um Dext ou Backflip no plano mais caro, chega em casa descobre que boa parte dos programas não funciona. Resultado? Nos comentários deste post de nosso co-irmão (adoro essa demagogia como estações de TV se referiam umas às outras) vários leitores declaram publicamente intenção de migrar para iPhones e -pasmem- Windows Phone 7. Motorola não é Parmalat mas... Tomou?

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários