Meio Bit » Indústria » Cuidado Pirata, que o Bono te Pega

Cuidado Pirata, que o Bono te Pega

11 anos atrás

Que o Bono é chato™, todo mundo sabe, mas quando abre a boca pra cantar, o sucesso é inegável. Infelizmente ele resolve falar também, e quando não está aporrinhando alguém para salvar as foquinhas malhadas albinas de Springfield, ou mudando a sede da U2 Enterprises pra fugir do fisco, ele fala sobre downloads ilegais.

Em sua coluna no New York Times ele soltou o verbo contra a pirataria. Afirmou com todas as letras que a única coisa que impede a TV e indústria cinematográfica de sofrer o mesmo destino da mídia impressa e da música é o tamanho dos arquivos.

Ele vai além, diz que uma década de compartilhamento de arquivos deixou claro que os maiores prejudicados são os criadores do conteúdo, "no caso os jovens compositores que não podem viver de shows e venda de camisetas", como os artistas já estabelecidos.

Os grandes beneficiados para ele são os provedores de acesso, cujos "lucros inchados espelham perfeitamente a perda de receita da indústria musical".

Até aí, é verdade, a venda eletrônica tem crescido mas nem de longe compensa a perda de receita com a virtual morte dos CDs, e qualquer camelô de centro de cidade sabe o quanto ficou difícil vender um DVD original. Só que a alternativa sugerida por Bono não é das melhores.

Ele cita a China como exemplo de como é possível coibir acesso a sites e conteúdo ilegal. Diz que temos a tecnologia para rastrear conteúdo online (e depois o quê, Mr Bono? Fuzilar?) e espera que os grandes executivos de Hollywood consigam "defender a economia mais criativa
do mundo". Logo a China, Bono?

Eu sou contra o discurso "artista tem que viver de show", isso não é algo que o Herbert Vianna ou o Marcelo Yuka mereçam ouvir, acho que artista tem que viver do que ele achar melhor, é função da indústria viabilizar isso, criando modelos não-intrusivos onde as pessoas possam adquirir o conteúdo pagando com dinheiro e/ou atenção (publicidade é o que banca a TV aberta, lembram?).

O que não vai durar é o modelo atual, que claramente não atende mais as expectativas do público NEM dos novos artistas que tentam tirar dele seu sustento. Por isso ele tem seus dias contados, não importa as atitudes repressoras da Indústria ou, vergonhosamente, do Bono.

Fonte: CBC News

relacionados


Comentários