Meio Bit » Indústria » É oficial: OLPC agora roda Windows

É oficial: OLPC agora roda Windows

12 anos atrás

Não é delírio da mente perturbada de Nicholas Negroponte, está em um press release da Microsoft, testes em mercados emergentes começarão mês que vem.

O OLPC continuará tendo a opção de vir com Linux instalado, e serão feitos esforços para portar a interface SUGAR do OLPC-Linux para o Windows.

Segundo a Microsoft havia uma demanda global, de consumidores e parceitos pedindo uma versão Windows do OLPC, e citam Andrés Gonzalez Diaz, Governador de Cundinamarca, na Colômbia:

Suporte ao Windows no OLPC significa que nossos estudantes e educadores terão acesso a mais do que experiências de aprendizado auxiliados por compotador. Eles também desenvolverão habilidades tecnológicas atraentes ao mercado, o que poderá levar a empregos e oportunidades para a juventude de hoje e a força de trabalho de amanhã.


olpcwindows

O desenvolvimento levou mais de um ano, mas o XP no OLPC suporta todos os recurstos do aparelho, incluindo gerenciamento de energia e o modo de leitura de ebooks. o XP foi adaptado para bootar de um cartão SD, e a BIOS do OLPC teve que ser reescrita.

Não é uma versão qualquer, é o mesmo Windows XP que roda no Intel Class Mate e no ASUS Eee. Significa que não há limitações de hardware ou software educacional (ou não) que você pode instalar, respeitando o hardware, claro.

Quem ganha? Gente como o Ministério da Educação da Romênia, que queria testar o OLPC mas preferia uma versão Windows, e qualquer um que tenha uma base Microsoft e queira aproveitar a expertise de sua equipe, sem ter que reinventar a roda.

Quem perde? Só quem acha que ser livre é poder escolher mas somente as opções que essa pessoa considera válidas.

Nota: Que conste nos autos que minha opinião sobre o OLPC, explicitada nos outros artigos, continua a mesma. Tudo muito bom, tudo muito bem, mas escola se faz com cuspe e giz, e sem água e comida para produzir cuspe, fica complicado gastar US$188,00 - o preço atual do OLPC - por aluno. Saneamento, infraestrutura, salários decentes, comida. DEPOIS tecnologia.

Fontes: Microsoft Press, InsideUp

relacionados


Comentários