Meio Bit » Baú » Demais assuntos » Ô pinguim complicado...

Ô pinguim complicado...

24/10/2008 às 19:57

Lendo este post no BR-Linux vi que alguém havia criado um remake do Road Fighter para o Linux. Nem pensei em fazer o óbvio post “1984 foi o Ano dos Games no Linux”, pois eu tenho um Mac e sei o que é viver em uma terra árida sem jogos. Mas eis que vendo a listagem de arquivos reparei em um em especial, RoadFighter-1.0.dmg. Hummm… isso é extensão de imagem de disco compactada do OS X. 5.8MB, não custa tentar.

roadfighter

YES! O bom e velho Road Fighter, dos tempos do MSX, que tanta diversão proporcionou. Mas uma coisa me chamou atenção: A complicação do processo de instalação. Não complicação no sentido de complexidade, mas no sentido de passos desnecessários. Vejamos o que o site citado pelo BR-Linux instrúi:

1 – Escolher entre as oito opções diferentes a adequada a seu Ubuntu

2 – Baixar o arquivo e dar um duplo clique sobre o pacote “roadfighter.710_1.0-1269_i386.deb” ou “roadfighter.710_1.0-1269_amd64.deb”

3 – Abrir o terminal

4 – comandar sudo apt-get install -y libasound2-plugins libsdl1.2debian-pulseaudio libsdl-mixer1.2

Como assim, Bial? Pra rodar uma porcaria de um joguinho tem que abrir terminal? Instalar biblioteca de áudio?

Isso não é pronto pro desktop, isso é pronto pro laboratório.

Na versão para Mac o trabalho foi:

1 – Baixar o único arquivo disponível e dar duplo-clique ao final

2 – Outro duplo-clique no ícone do RoadFighter, e jogar.

Quer instalar? Arraste pra pasta Applications. Pronto. Acabou. Finito.

Ah, mas o Mac é todo estático, ele perde espaço empacotando bibliotecas que podem estar já no sistema, mimimi, mimimi.

Que se dane. Disco é MUITO barato hoje em dia. No momento em que uma aplicação vem empacotada com todas as bibliotecas necessárias eu sei que ela vai funcionar. Não acho razoável ter que abrir uma janela de terminal pra rodar um joguinho de 24 anos atrás.

A culpa é do Linux?

Hummm… não. A culpa é dos desenvolvedores, que se acostumam com um método de distribuição feito para geeks, não para pessoas normais. Se o cidadão tivesse empacotado o jogo com uma filosofia Mac o mesmo teria magicamente se tornado tão amigável quanto qualquer coisa feita por Steve Jobs.

Às vezes isso é tão simples quanto incluir uma biblioteca de 100KB.

A culpa de isso não acontecer não é do Bill Gates, do Bush, nem mesmo do Stallman. É dos próprios desenvolvedores, que não se preocupam em facilitar a vida dos usuários, e da comunidade, que se orgulha de algo ser mais complicado do que deveria.

Não há nada de errado em querer saber como o motor do seu carro funciona, errado é querer que todo mundo que vá dar uma volta tenha Mestrado em Engenharia Mecânica.

Ah sim, vários outros remakes, como F1 Spirit, Goonies e até Custer’s Revenge disponíveis no RetroRemakes.com.

relacionados


Comentários