Meio Bit » Baú » Fotografia » Análise Rápida - Adobe Photoshop CS 4

Análise Rápida - Adobe Photoshop CS 4

18/10/2008 às 19:30

Esta semana a Adobe liberou a nova versão (CS 4) de sua suíte e também disponibilizou as tradicionais cópias "trial". Infelizmente, baixá-las não é algo trivial. Veja nesse post algumas dicas de como baixar as cópias.

Em termos de arquitetura, o Photoshop CS 4 apresenta duas grandes mudanças: o suporte à plataforma 64 bits (somente no Vista, o pessoal da maçã vai ter que esperar pela versão CS5 ou CS6) e a utilização do poder das placas de vídeo.

No Vista 64 bits, são instaladas as versões de 32 e 64 bits, pois nem todos os plugins estão disponíveis para 64 bits.

Até agora, o Photoshop simplesmente ignorava toda a memória e processamento disponíveis nas placas de vídeo. A partir da versão CS 4 ele passa a utilizar a placa para melhorar o desempenho ou habilitar novas "features" como:

a) Deep Zoom: você mantém o botão do mouse pressionado para obter zoom-in/zoom-out de forma gradual

b) Rotating canvas: você pode girar a tela da imagem, não a imagem em si, preservando o ângulo de visão. Recurso interessante para quem trabalha com tablets.

Como minha placa de vídeo é "onboard", não posso mostrar esse recurso aqui, mas você pode ver os dois efeitos em um vídeo no link http://www.layersmagazine.com/photoshop-cs4-interface-overview.html

Algumas das principais mudanças

a) Preview da imagem no diálogo de abrir: essa opção me foi especialmente útil, já que para minha câmera a Canon ainda não soltou o driver de 64 bits, o que me impede de ter um preview da imagem RAW diretamente no Windos Explorer

b) Interface remodelada: a interface foi bastante remodelada. A Adobe está seguindo a tendência de aproveitar a barra de titulo para algo útil. Como normalmente estamos trabalhando com imagens enormes, qualquer linha a mais de pixels é bem vinda.

As imagens agora ficam abas, ao invés de janelas MDI. As paletas podem ficar soltas, fora da workspace.

c) O CS 4 incorpora a versão 5 do ACR (Adobe Câmera RAW). Essa versão ainda não traz suporte oficial às últimas câmeras lançadas (Canon 5D Mark II, Nikon D90, etc), no entanto, traz grandes novidades:

- Pincel de ajuste local: uma novidade que já havia parecido no Lightroom 2. Com essa feramenta pode-se fazer ajustes de exposição, contraste, etc, em áreas localizadas (na imagem abaixo estão em highlight as áreas de ajuste que selecionei)

- Filtro Graduado:com essa ferramenta você aplica um filtro “dégradé” sobre sua imagem, permitindo ajustes, como exposição, em níveis graduados. Pense na seguinte situação: você tirou uma foto de uma paisagem onde o céu ficou levemente estourado, mas o restante da cena está Ok. Utilizando o filtro graduado, você pode corrigir o céu sem afetar o restante da imagem

- Post crop Vignetting: para quem não conhece, vignette é aquele efeito indesejado de bordas escuras que algumas lentes (principalmente grande-angulares) deixam. No Adobe Lightroom 1, a Adobe havia colocado uma opção para remoção dessa vignette (a ferramenta clareia as bordas) mas que também permitia colocar uma vignette. Isso criou uma pequena moda (a qual também aderi) com milhares de fotos pós-vinhetadas. Essa ferramenta tinha uma deficiência: a vingnette era retirada (ou aplicada) considerando o tamanho original da foto. Se você cropasse a foto, perderia a alteração (ou ficaria com ela aplicada apenas em algumas regiões. Com o lançamento do Lightroom 2 (e agora incorporado no PS CS4), tivemos a opção de aplicar o efeito após o crop.

- Content-Aware Scale: uma nova forma de mudar as proporções de uma figura que usa o algoritmo conhecido como “Seam carving”, podendo opcionalmente escolher determinadas partes de uma imagem que devem ser protegidas para não ficarem distorcidas. Veja o exemplo abaixo:

Imagem Original:

Após ter seu tamanho alterando, protegendo a modelo:

Conclusões Rápidas

Minha experiência com o Photoshop CS 4 se resume a poucas horas ( o suficiente para escrever esse post). Não posso atestar que ele está mais rápido pois sua instalação coincidiu com uma troca por um computador melhor. No entanto, ele me pareceu muito melhor, mais fácil e mais responsivo.

A interface está muito agradável, com as opções mais facilmente “encontráveis”. Os novos recursos são muito bem vindos também.

Acho que o Gimp terá alguns sacos de farinha a mais para comer se quiser chegar perto do Photoshop, no entanto, por ironia, uma das maiores reclamações que os usuários tinham em relação ao Gimp – a interface “solta” ao invés de Mdi – deve ser esquecida, já que isso está presente no PS CS 4 também (o que gostei muito).

A modelo que aparece nas fotos é minha amiga Laisa, programadora de... Cobol! Tirem de suas mentes aquela visão esteoritapada de múmias digitando "IDENTIFICATION DIVISION...PROCEDURE DIVISION!"

Cássio R Eskelsen

relacionados


Comentários