Meio Bit » Baú » Games » Spore

Spore

10/09/2008 às 16:43

Sempre que um gênio do gabarito de Will Wright termina um trabalho, milhões de pessoas ao redor do mundo esperam um jogo no mínimo fantástico. Com Spore essa expectativa não poderia ser diferente, principalmente devido à grandiosidade do projeto. Saiba como ficou o game lendo a nossa análise.

Da criação à exploração espacial

Embora a maioria das pessoas já saiba, vale mencionar que Spore é um game onde você deve evoluir uma espécie até que ela se torne uma das mais poderosas do universo. Ao dar uma lida no manual de Spore, você descobrirá que o game é dividido em cinco etapas.

No início você deverá optar por controlar uma criatura herbívora ou carnívora. Esta forma de vida será algo parecido com uma ameba e caberá a você apenas se alimentar, principalmente de seres menores ou plantas e fugir do maiores. Sempre que você se alimenta, sua "ameba" ganha pontos de DNA que servirão para "comprar" novas partes para o bicho. Essas partes farão com ele fique mais rápido, mais forte e/ou resistente e cabe a você decidir em quais características investir.

Se você for um predador, por exemplo, é melhor que seu animal tenha uma boca mais forte, enquanto que um herbívoro se daria melhor com flagelos que o tornassem mais rápido, facilitando assim uma fuga no caso de um ataque.

Para fazer modificações na estrutura de sua criatura, você deverá acasalar e para realizar tal tarefa, basta clicar em um botão para achar um parceiro. Após o encontro, um deles porá um ovo e dele sairá uma versão incrementada de sua espécie. Só tome cuidado pois chamar um parceiro pode também atrair predadores.

Quem vê o game apenas nesta etapa deve achar tudo muito bobo e simples, mas a intenção era essa mesma, proporcionar uma curva de aprendizado acessível e ir mostrando ao jogador o que está por vir, sem falar que cada decisão tomada por você irá modificar o jogo mais para frente.

Andando com suas próprias pernas

Depois de evoluir o seu ser primitivo, chega a hora de sair da poça d'água. Aqui as coisas começam a ficar um pouco mais interessante. Você deverá "colocar" pernas em sua espécie, que já possui uma cérebro minúsculo e começar sua vida na terra. Após criar um ninho, você precisará explorar o planeta, caçando, colhendo frutas, criando laços com outras espécies ou as exterminando. Nessa etapa, Spore começa a mostrar sua complexidade e mesmo assim a dificuldade ainda é baixa.

Após realizar algumas ações, as criaturas do seu ninho resolverão migrar para outro ponto do planeta, ficando cada vez mais distantes da água e mostrando que ela ainda tem um longo caminho na evolução.

Unidos Venceremos

Depois de possuir um cérebro grande, sua espécie começará então uma vida tribal. Agora você não mais controlará uma criatura, mas várias delas ao mesmo tempo. O jogo dá uma guinada violenta em seu estilo e passa a ser uma versão simplificada de um game de estratégia no melhor estilo Warcraft e Age of Empire. É preciso coletar alimentos, comprar armas e construções que permitiraão que sua tribo fique mais forte.

Ressalto que todas as suas ações continuam mudando o desenrolar do game e aqui você deverá optar por se aliar a outras tribos ou destruí-las. Nesta etapa você não mais poderá alterar a estrutura de sua espécie e agora as mudanças são feitas nas suas vestimentas, onde você pode comprar capacetes, armaduras, decorações e coisas do tipo.

Concluindo esta etapa, você passará para a de civilização, onde começará com uma cidade e terá que dominar o mundo e logo após o destino é colonizar o espaço. Não entrarei em maiores detalhes sobre essas fases para não estragar a surpresa, mas posso dizer que a brincadeira vai ficando cada vez melhor, mais viciante e complexa. E deixo aqui uma dica: apenas a parte de colonização espacial é maior, muito maior que a maioria dos jogos do gênero disponíveis no mercado. Se fôssemos dividir o game nas cinco etapas, não é exagero dizer que apenas a parte do espaço já valeria os R$ 99,00 que pagamos no jogo todo.

Crie o que quiser

Falar de Spore e não citar seu impressionante editor é cometer uma enorme injustiça. Quem testou o demo do "Criador de Criaturas" possui uma idéia do que é possível fazer no game, mas é dentro do Spore que podemos ver realmente do que ele é capaz.

Embora o funcionante seja basicamente o mesmo, aqui você poderá criar as próprias criaturas, naves espaciais, tanques de guerra, navios, aviões, carros e até a prefeitura da sua cidade. Caberá a você decidir qual será o formato das criações, assim como cor e complexidade. Resumindo: tendo um pouco de paciência e bastante criatividade, é possível criar quase qualquer coisa e o interessante é que seu funcionamento é bastante intuitivo.

Os mínimos detalhes

Mesmo com toda esta complexidade, uma coisa me chamou muito a atenção: o apego aos detalhes por parte dos criadores. Durante minha experiência no Spore, consegui preencher uma página inteira de anotações com eles e gostaria de citar alguns.

Durante as partidas é possível ver a passagem de tempo, mudanças climáticas, presenciar os filhotes se protegendo atrás dos pais durante um ataque ou mesmo o desespero de algumas criaturas ao ver sua tribo ser dizimada.

O nível de detalhamento é tão absurdo que podemos ver nossas criaturas bêbadas após um banquete, batendo umas nas outras e dando risadas, dar de cara com seres gigantescos e que o manual chama de "criaturas místicas", algo semelhante aos monstros de que ouvimos falar como Pés Grandes ou serpentes marinhas. Essas criaturas são praticamente imbatíveis e representam uma ameaça para nós, portanto é bacana ficar observando-os à distância.

O que dizer, por exemplo, da primeira vez que presenciamos uma chuva de meteoros? Vários animais correndo pelas planícies tentando se salvar. Você ainda dará de cara com espaçonaves, o que deixa claro que nem todas as espécies estão no mesmo nível de evolução e só ajuda a deixar o game ainda mais charmoso.

Isso mostra que os game designers tentaram recriar um meio ambiente verossímil e na minha opinião o objetivo foi alcançado. Ver como tudo funciona belamente em Spore é uma experiência digna de ficar guardada na memória.

Perfeito para seu propósito

A parte técnica de Spore é algo que pode ser polêmico. Se você gosta de jogos ultra-realistas, com texturas em alta definição, explosões e tiros sendo transmitidos em diversos canais de áudio, este definitivamente não é seu jogo.

O encanto do título está justamente na sua direção artística. Com cores fortes, estruturas e criaturas que podem até ser consideradas caricatas, o importante aqui é que você entre no clima do jogo e o aproveite da forma como ele é. Se fizer isso, garanto que a experiência será gratificante. Destaque para a forma como os seres mudam os sons de acordo com sua evolução, passando de meros grunhidos na etapa de criaturas para longos diálogos após a criação de sua cidade.

Brilhando também online

Mesmo não tendo uma modalidade multiplayer, Spore possui um forte elemento online. Estando conectado à conta que é criada após a instalação do jogo, você receberá constantemente criações de outros jogadores e isso garante que uma partida nunca seja igual à anterior. Em uma de minhas incursões ao universo de Spore, encontrei com um ser muito parecido com a rainha Alien do conhecido filme de ficção-científica. Há também a possibilidade de enviarmos filmes diretamente para nossa conta do Youtube ou fazer uma busca na Sporepedia sem ter que sair do jogo.

Inovador sim, mesmo copiando

Mesmo reaproveitando elementos de vários outros jogos, é injusto dizer que Spore não é inovador por um simples motivo: o jogo consegue reunir características de clássicos como os já citados Warcraft e Age of Empire, Civilization e até mesmo o diferente Flow. Embora estejamos falando basicamente de um jogo de estratégia, as variações entre as etapas é tão grande que parece estarmos jogando cinco jogos bem distintos entre si.

Instale só três vezes

Ao fechar esta análise eu dei de cara com a notícia que a EA teria colocado um sistema de DRM que limita a instalação do game a apenas três vezes. Isto certamente foi feito para evitar a pirataria, mas a atitude está gerando uma imagem negativa, tanto para a empresa quanto para o jogo, que está recebendo avaliações negativas em sites de vendas online como a Amazon.

Embora o procedimento seja um tanto chato e burocrático, é importante avisar que caso você esteja pensando em comprar ou já comprou e precise de uma quarta instalação, basta entrar em contato com a equipe da EA para que conseguir a essa liberação.

De pequenos detalhes ao fantástico editor presente em todas as etapas do jogo, a sensação que temos é a de termos nas mãos um título que vale cada centavo investido, seja pelo acabamento impressionante, seja pela diversificação proporcionada pela obra-prima de Will Wright. Acreditem, Spore é um jogaço.

- Direção artística simplesmente fantástica;
- Editor praticamente impecável;
- Possibilidades de customização quase infinitas;
- Se existe um jogo que pode ser considerado infinito, este jogo se chama Spore;
- Will Wright mostra ser um dos maiores gênios da indústria.

- A dificuldade para instalar o game mais de três pode incomodar alguns;
- Você nunca conseguirá fazer tudo que o game pode proporcionar. NUNCA;
- Mesmo tendo escrito tudo isso aí em cima, não consegui abordar nem metade do jogo :(-

relacionados


Comentários