Meio Bit » Baú » Internet » Japão vai abrir "campos de concentração" para viciados em internet

Japão vai abrir "campos de concentração" para viciados em internet

Campo de concentração parece exagero mas não está longe da realidade, a diferença é que o jejum será de internet, não de comida, e não haverá tortura ou outras formas de maus-tratos.

27/08/2013 às 18:30

Nascido para matar

Crédito da imagem: reprodução.

Campo de concentração parece exagero mas não está longe da realidade, a diferença é que o jejum será de internet, não de comida, e não haverá tortura ou outras formas de maus-tratos.

Provavelmente.

O fato é que uma pesquisa realizada pela Universidade Nihon com quase 100 mil estudantes revelou que quase 8 mil, ou 8 %, eram patologicamente viciados em internet.

Desses 8 mil, 23 % apresentavam problemas para dormir e 15 % eram propensos a acordar subitamente no meio da noite.

O governo japonês acredita que pode haver até 500 mil estudantes do ensino médio e fundamental, entre 12 e 18 anos, com o mesmo problema. Para resolver isso, o ministério da educação está abrindo "campos de jejum" para "desplugá-los".

O ministério da educação planeja uma ampla pesquisa sobre o vício na internet para o próximo ano e já solicitou fundos do governo para programas de imersão destinados a afastar as crianças dos computadores, smartphones, tablets e games, em uma espécie de acampamento de verão.

Curso de Verão

A ideia dos "campos de jejum de internet" nasceu na China, país com maior número de usuários e onde os casos mais bizarros viram notícia, como o garoto de 14 anos que envenenou os pais por impedi-lo de jogar e outro que tentou suicídio por motivos similares.

O primeiro campo chinês foi aberto em 2004 em Pequim. É um campo militar onde os internados sofriam um tratamento de presidiários, com espancamentos que causaram até a morte de um dos "viciados". Porque China, né?

O programa japonês deve ser mais humano. Os estudantes participarão de atividades ao ar livre, como esportes em equipe e jogos, sem conexão com a internet.

Uma coisa é certa, cada vez mais estudos associam o uso em excesso da internet com desordens alimentares, problemas para dormir, depressão e baixo desempenho acadêmico. E um pouco de ar livre nunca fez mal a ninguém.

Fonte: Motherboard

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários