Meio Bit » Baú » Indústria » AppMachine, uma plataforma que aposta na simplicidade em desenvolver aplicativos

AppMachine, uma plataforma que aposta na simplicidade em desenvolver aplicativos

Conheça o AppMachine, plataforma que permite criar apps para iOS e Android e que não requer prática nem tão pouco habilidade em programação

27/08/2013 às 17:40

Interface do AppMachine no desktop

Convenhamos, para se criar um app é preciso um conhecimento básico de programação ou o mínimo possível, conhecimento de lógica para ao menos operar o App Inventor, a plataforma até então mais simples de desenvolvimento. Ainda que esse seja oa moda hoje tal como era criar páginas em HTML nos anos 90, nem de longe é tão simples.

Visando o mercado crescente e trazendo uma forma simples de desenvolver apps, a startup AppMachine chega ao Brasil nesta semana e será lançada durante a TNW Conference Latin America 2013, em São Paulo.

Siebrand Dijkstra, CEO da AppMachine

Em entrevista ao Meio Bit, o CEO da AppMachine Siebrand Dijkstra explicou um pouco da história da startup, que nasceu em 2011 na Holanda e hoje está presente em mais de 140 países, graças a uma plataforma robusta que faz todo o trabalho pesado para o desenvolvedor: ainda que um programador versado consiga extrair muito mais do AppMachine, conhecimento prévio não é essencial, bastando apenas um link, algumas confirmações e PIMBA!, a plataforma cria uma aplicação pra você.

A ideia é justamente ser uma alternativa barata e simples para pequenas e médias empresas que desejam , assim como para quem não sabe programar. Ao criar uma conta no site você já pode sair criando seu app, entrando com dados sobre o seu site e ele carrega os feeds, conteúdos e monta um app funcional em segundos, restando ao usuário moldá-lo da melhor forma com os chamados "blocos de conteúdo", cuja ideia é funcionar igual aos blocos de LEGO. "Se você quer um carro, um helicóptero ou ma lancha, você o monta. Nós criamos o site da mesa forma", comenta Siebrand. A ideia é oposta à do App Inventor: enquanto a montagem deste se faz através de um conjunto de IFs e ELSEs como peças de quebra-cabeças, no AppMachine cada bloco possui uma função. O usuário só precisa movê-la e conectá-la onde achar mais conveniente.

Exemplos de blocos de conteúdo

Uma vez que o app está pronto, o AppMachine também se encarrega da publicação, e mostra nova vantagem: o app criado é compatível tanto com iOS quanto Android, sendo limitado apenas pelas políticas de cada loja e a imaginação do desenvolvedor. Ainda que de forma simples, Siebrand demonstrou criando um app do Meio Bit com o esqueleto completamente funcional... em quinze segundos. A partir daí resta polir, adicionar funcionalidades exclusivas ou, no caso de usuários mais experientes, adicionar seu próprio código. Tudo isso em tempo real, e o site conversa diretamente com o smartphone, que deve ser cadastrado na sua conta. Cada modificação é atualizada e exibida na tela e/ou no aparelho em tempo real.

Siebrand diz que a AppMachine estudou o Brasil e entende as peculiaridades de nosso mercado, por isso o modelo de negócios que está trazendo para cá é diferenciado: o app em si é gratuito, mas para ter acesso a ferramentas mais especializadas, inserir código ou mesmo publicar sua criação é preciso pagar: enquanto que na Europa a licença deve ser paga de uma vez, no Brasil ela será parcelada em 12 vezes. Os planos são:

  • Gorgeous (R$ 119/mês): é a opção básica, que permite criar apps funcionais;
  • Designer (R$ 199/mês): oferece mais opções de design e personalização de navegação;
  • Developer (R$ 269/mês): esta é a completa. O usuário poderá importar bancos de dados, criar telas e inserir seu próprio código. Essencialmente, fazer qualquer coisa.

Apesar de apenas voltado para iPhones e celulares Android, a AppMachine está trabalhando numa versão para também atender tablets, e a Microsoft já está em vias de permitir suporte à plataforma Windows Phone. Mesmo que seja um pouco caro, criar o app não demanda pagamento, o que pode ser muito útil para o uso educacional, principalmente para crianças e jovens. Ao ser perguntado sobre isso, Siebrand confirmou que por esse mesmo motivo o AppMachine é utilizado em massa em escolas holandesas, inclusive fomentando concursos entre quem consegue criar o app melhor/mais bonito.

E é aí que o AppMachine se destaca: ainda que seja pago ele não exige conhecimento prévio, qualquer criança usa, brinca e se diverte, as pequenas e as crescidas. E com a demanda por apps crescente, provavelmente muita gente vai se interessar por uma plataforma simples como o AppMachine.

Quem quiser testar é só seguir este link, se cadastrar e baixar o app companion, tanto para iOS quanto Android.

relacionados


Comentários