Meio Bit » Baú » Games » Unreal Tournament 3

Unreal Tournament 3

01/04/2008 às 11:57

Podem me chamar de herege, mas eu nunca joguei nenhum Unreal antes. Isso é ruim porque eu não tenho como comparar esse ultimo jogo com os outros, mas é bom também pelo mesmo motivo, porque eu posso analisar o jogo em si.

Tava fazendo falta jogar um FPS no estilo "escandaloso", nem só de Call of Duty 4 vive o homem. E como Unreal Tournament 3 também foi produzido pela EPIC Games, criadora do excelente Gears of War, eu não pude deixar de conferi-lo.

O Roteiro

Você está na pele de Reaper, um ex-minerador que entrou para o exercito de defesa de sua colônia, Twin Souls, para ficar de olho em sua irmã, Jester, que é uma garota impulsiva e aventureira (no bom sentido). Também estão em seu grupo Bishop, um soldado que acredita no lado "santo" das batalhas, e Othello, um afro-descendente muito rico e muito tatuado que também entrou para a milícia em busca de aventuras.

Tudo estava muito bom até que os malditos Necris liderados por Akasha mataram toda a colônia, menos nossos bravos heróis. Agora eles querem VINGANÇA (Música de vingança)!!! Eles acabaram entrando para outro exercito que estava em guerra com os Necris apenas para poder ter a oportunidade de "kill this bitch".

Não vou querer me aprofundar mais no roteiro do history mode já que ele não é nada original, apenas clichês, e também pra não falar nenhum Spoiler. Mas é interessante notar como clichês combinam com esse tipo de jogo e a gente termina nem ligando.

Gráficos e Sons

Bonitos, bem feitos e em minha opinião, leves. Muito parecidos e praticamente no mesmo nível de Gears of War já que ambos usam a Unreal Engine 3, mas ainda achei os de GoW mais impressionantes. Não consigo mais pensar em outro modo de descrevê-los.

Os sons são ótimos, cada arma e veículos têm efeitos sonoros bem característicos. As músicas são meio bobinhas, mas quem vai prestar atenção na música no meio de tantas explosões?

Jogabilidade

Tudo muito old-school, não tem muito que falar do jogo em relação a controles. WASD para se mover, espaço para pular, ETC, ETC ...

Agora quem vem de um FPS realista como CoD4 vai sofrer um pouco em Unreal Tournament 3, o jogo é MUITO RÁPIDO! Os personagens correm muito mais rápido, eu sofri muito pra conseguir mirar! Mas acho que quem já joga a mais tempo FPS’s mais escandalosos vai se sentir a vontade.

Single Player e Co-op

O jogo tem três modos, campanha, Instant Action (Single Player com bots para treinamento) e multiplayer. Fora isso o modo campanha pode se jogado em co-op via internet ou LAN, o que torna as partidas mais interessantes.

O modo campanha é formado apenas por partidas multiplayer com bots, pronto. A diferença entre o modo campanha e o modo Instant Action são apenas alguns cinematics que aparecem entre seus cinco capítulos e explicações sobre o objetivo da missão. De vez em quando você tem a opção de escolher entre duas ou mais parti... digo, missões para progredir no jogo.

O que em deixa chateado é como o Reaper parece ser um personagem que merecia ser mais bem trabalhando do que o Marcus Fênix, principalmente porque ele está nessa mais por causa da irmã. Mas como a preocupação com a história do jogo pareceu mínima, Reaper ficou apenas parecendo mais um "troglodita com uma rocket laucher".

Multiplayer

Isso sim é o que interessa nesse esse jogo. Os modos multiplayer são:

Deathmatch e Team Deathmatch – Dispensam explicações. Quem mata mais, ganha.

Warfare – O objetivo é destruir o gerador de energia inimiga chamado de “Core”. Para poder causar danos ao Core do inimigo você tem que primeiro capturar outros pontos do mapa chamados de Nodes. A briga por esses pontos é muito intensa e disputada, quando você quiser tomar um Node de um inimigo você tem que destrui-lo antes para depois construir o seu no lugar. Você também conta esferas chamadas Orbs que capturam instantaneamente um Node inimigo para você. Quase todos os mapas desse modo contam veículos, mas você não pode carregar um Orb dentro de um veiculo com exceção do hoverboard (Ver abaixo).

Capture The Flag e Vehicle Capture The Flag – Outro modo já conhecido por todo mundo. A diferença entre os dois é óbvia, os mapas de um modo têm veículos e os de outro não, apenas o translocator (Ver abaixo).

Duel – Deathmatch, um contra um. (X1 n00b!!!!)

Apesar de aparentemente o jogo contar com poucos modos os mapas de cada um são únicos e incrivelmente bem planejados, principalmente os dos modos Warfare e Vehicle Capture The Flag. Partidas nesses modos são experiências diferentes em mapas diferentes. Muitos contam com coisas únicas como nodos que quando capturados lhe dão mais alguma vantagem em combate, countdown para danificar o Core inimigo e controle de mais veículos são os mais comuns.

O jogo também conta com mod’s pré prontos chamados mutators. Muito interessante pra quem quiser deixar a partida duas vezes mais rápida, em slow motion e com menos gravidade. Os mutators podem ser acionados sempre quando se cria um jogo e você pode acionar quantos quiser.

Infelizmente e encontrei apenas um servidor Brasileiro, pelo menos consegui jogar em alguns serves gringos com um ping até razoável.

O jogo também conta com um sistema de comunidade. Você pode adicionar amigos, receber e enviar mensagens e ver sua posição no ranking entre eles.

Há sim, você também pode customizar seu avatar com base nos personagens do jogo. Pode mudar capacete, óculos, ombros, ETC.

As estrelas

Agora vamos falar delas, as ARMAS!

Quase todas as armas do jogo têm dois modos de disparo, um com o botão direito e outo com o botão esquerdo do mouse. Vamos lá:

Biorifle – Arminha nada politicamente correta que dispara gosmas acidas/infecciosas/pregüentas no oponente. O tiro primário faz disparos comuns, o tiro secundário faz disparos carregados. Se você errar as gosmas ainda ficam por um tempo nas paredes e piso, servem como armadilha.

Enforcer – Pistola básica. Tiro primário é um disparo comum, tiro secundário é um burst de 3 disparos. Você também pode pegar a Enforcer de um inimigo morto e ficar com duas.

Flack Cannon – Alguma coisa como uma espingarda cujos projeteis ricocheteiam nas paredes. O tiro primário dispara vários projeteis que se espalham, muito eficiente de perto. O tiro secundário dispara uma esfera de energia parecida com um efeito parecido com de uma granada.

Impact Hammer – Arma de combate corpo a corpo. Mata de uma porrada só mas precisa estar carregada. O chato dessa arma é que depois de usá-la você vai precisar tomar um banho, e é muito difícil limpar partes do corpo do inimigo que ficam presos dentro dela ... O tiro secundário serve para atacar veículos.

Link Gun – Arma de energia. O tiro primário dispara esferas de energia. O disparo secundário cria um feixe de energia muilti-uso, ele serve para atacar o inimigo, apressar a construção e reparar Nodes e Veículos, e também para aumentar o poder de um aliado que também esteja usando uma Link Gun.

Long Bow Avril – Lança míssil anti-veiculos, muito lento para recarregar.

Redeemer – Míssil Nuclear Portátil ... preciso falar mais alguma coisa?

Rocket Launcher – Um FPS escandaloso não é nada sem um Rocket Launcher. Mantenha a mira no inimigo para travá-la e o foguete irá fazer curvas para acertá-lo. Segure o botão de disparo secundário para disparar até três foguetes de uma vez.

Shock Rifle – Rifle de energia dispara um feixe laser em linha reta. O disparo secundário atira uma esfera de energia que quando é acertada com o disparo primário cria vácuo que suga e danifica tudo ao seu redor, mata na hora.

Sniper Rifle – Nada demais, só um rifle com mira telescópica. A pior arma do jogo em minha opinião.

Stinger Minigun – Uma Gatling-Gun que dispara cristais. O tiro secundário é mais lento e forte mas o tiro primário é o mais rápido do jogo.

Veículos

Nos mapas Warfare e VCTF você conta com verdadeiras máquinas guerra. Existem muitos veículos no jogo, os mais notáveis são o Leviathan Humano e o Darkwalker Necris.

O Leviathan é um tanque de guerra com capacidade para um piloto e 4 canhoneiros. O disparo do canhão principal do Leviathan é igual ao do Redeemer. Os canhões secundários contam com disparos parecidos com os do Shock Rifle e escudos.

O Darkwalker é um veiculo assustador. Apoiado em 3 pernas gigantescas ele pode atacar qualquer ponto em muitos mapas com seu poderoso canhão laser. Ele também tem espaço para mais um canhoneiro para defesa e tem uma arma de som para derrubar inimigos próximos.

Você também tem um quebra galho, um hoverboard no melhor estilo De Volta Para o Futuro. Ele é o único veiculo que você pode usar para carregar a bandeira inimiga e os seus Orbs. Todos os jogadores têm um.

Também tem uma coisa que fica entre veiculo e arma, o translocator. Ele é uma pistola que dispara um disco, aperte o botão secundário e você vai se teleportar para onde o disco caiu.

Ambos hoverboard e translocator são ativados com o botão Q, qual os jogadores vão usar depende do mapa.

Se você procurar um FPS escandaloso pra jogar um bom Deathmatch, cheio de opções e com um multiplayer bem trabalhado Unreal Tournament 3 é sem dúvida uma boa opção.

É uma pena que não podemos contar um history mode de verdade, mas o jogo é um arraso em sua especialidade, o multiplayer.

Pra mim é Call of Duty 4 como FPS realista e Unreal Tournament 3 como FPS escandaloso.

- Foco no multiplayer
- Mapas diferentes deixam o mesmo modo de jogo com sensação diferente
- Os mutators podem dar muito mais versatilidade em jogos multiplayer
- Sistema de comunidade para manter contato com seus amigos

- Story Mode fraco
- Ainda não tem muitos servers brasileiros

relacionados


Comentários