Meio Bit » Baú » Games » The Legend of Zelda: Phantom Hourglass

The Legend of Zelda: Phantom Hourglass

14/12/2007 às 13:23

Você gosta de escrever? Jogou algum game recentemente e gostaria de dar sua opnião? Aqui no Meio Bit Games você pode fazer. Basta clicar neste link e nos enviar o texto. Recentemente recebemos uma análise do jogo The Legend of Zelda - Phantom Hourglass para o Nintendo DS enviada pelo leitor Bruno Andrade Pedrassani. Após o break você confere o que o Bruno achou do game.

Junto com meu DS, comprei o The Legend Of Zelda - Phantom Hourglass. A impressão inicial é que é somente uma extensão do Wind Waker do GameCube, inclusive por ser "Cel Shaded"(pra quem não sabe, gráficos com cara de desenho animado).

O interessante, é que fica por aí. Claro, há muitas e muitas semelhanças com todos os outros jogos da série, como rupees, inimigos, arco e flecha, bumerangue, etc, que fazem o Zelda. Mas utilizá-los com a stylus é extremamente intuitivo e fácil. Ah, não mencionei, mas todos os movimentos são feitos pela stylus. E só usei até agora 3 botões: o L, pra acionar itens selecionados, o START, bem, pra pausar, e as SETAS(tá, podem ser mais 4 botões se quiser), que servem pra trocar as telas, ou seja, colocar o mapa da tela de cima na tela debaixo, ativar itens, navegar em menus.

Inclusive, utilizar o mapa é uma característica muito boa, diferente e bem implementada. Você pode fazer qualquer anotação "free-handed" no mapa. Desenhos, anotações, qualquer coisa. Ajuda muito. Inclusive os "puzzles" são muito bem bolados pra usar essa característica. Por exemplo, você encontra vários pontos no mapa, anota-os. Aí alguém diz
que se você fizer uma reta que passe nos 2 pontos mais a esquerda, e outra reta nos 2 pontos mais a direita, pegar o ponto onde as duas se encontram, há um tesouro.

Parece simples, mas é genial. Esse é só um exemplo de como a stylus e a criatividade levaram a jogabilidade a outro patamar. E há mais no Phantom Hourglass. Caretas dos personagens, humor, e um mundo relativamente grande pra um portátil como o DS.

Duas coisas me chamaram a atenção, com relação a melhorias: o limite de rupees que o Link pode carregar é bem maior inicialmente, e há um sistema melhor de "recompensa" para as side quests. Agora, ao invés de você sempre ganhar rupees de prêmio, você pode ganhar também tesouros (coroas, penas douradas, entre outros), ou partes pra personalizar seu barco. Não falei antes, mas você navega pelo mundo em um barco a vapor, diferente do Wind Waker em que você navega num barco à velas. Inclusive, se você achar um set completo de partes "do mesmo tipo" e colocar no seu barco, ele ganha características melhores, como mais pontos de vida.

Resumindo: um excelente jogo, com pitadas de humor, ótima jogabilidade, ótimos gráficos. É mais um da série Zelda, e quem gosta não vai se arrepender. É um "must-have" pra quem tem um DS.

Características negativas? Bem, jogadores casuais podem se frustrar por ter que navegar pra lá e pra cá, ter que buscar e procurar coisas, ou até ter que assoprar o microfone pra apagar chamas. É, nada consegue agradar a todos, minha namorada não gostou, mas nem tudo é perfeito não é?

relacionados


Comentários