Meio Bit » Baú » Indústria » 64 bits, 1GHz, multi core... e chinês!

64 bits, 1GHz, multi core... e chinês!

28/08/2008 às 18:32

Pesquisadores chineses anunciaram o lançamento do primeiro processador “multi core” totalmente desenvolvido no país: o Godson-3 (ou Loongson-3). A produção em larga escala dos chips com quatro núcleos começa ainda este ano e os de oito núcleos, em 2009.

Ambas as versões serão fabricadas pela STMicro, com o processo de 65nm, clock de 1GHz, consumindo 10W (quatro núcleos) ou 20W (oito núcleos). O set de instruções é uma mistura da arquitetura MIPS64 (que parece ser bem popular na China e, estrategicamente, não possui as instruções patenteadas pela MIPS Technologies) com um acréscimo de 200 instruções para aceleração de multimídia e tradução de binários x86. Parece o chip do criolo doido? Parece. Mas foram 200 engenheiros no projeto do hardware, mais 100 dedicados ao software e, como resultado, em 2010 será fabricado o primeiro sistema a quebrar a barreira do PetaFLOP com processadores Godson.

É bom lembrar que a arquitetura vem sendo desenvolvida há bastante tempo. Aqui mesmo no Meio Bit já noticiamos um micro com uma versão anterior.

Também em 2009 deverá chegar a arquitetura Godson-2H, um SoC (“System on Chip”) que integrará a CPU, a GPU, a north e southbrigdes.

Isso me lembra uma história antiga, cujos detalhes já estão borrados na memória, mas que, no geral, é assim: os EUA não deixavam a Petrobras comprar um supercomputador (faz tempo isso…). Diziam que os militares (faz MUITO tempo isso…) usariam para construir armas atômicas… aquela paranóia. Entra em cena a USP (ou Unicamp?) e constrói um supercomputador com mais poder de processamento e uma fração do custo. Não tinha software, claro, mas com a economia no hardware…

Rapidamente o governo americano liberou a venda da máquina e o projeto acabou esquecido.

Avancemos rapidamento no tempo. Em 2000, a China anunciou que desenvolveria seus próprios microprocessadores (na época, da família Fangzhou, de 32 bits). Quase todo mundo deu risada, achando ridículo… afinal, criar processadores é algo dispendioso demais, complexo demais e seria reinventar a roda, certo?

Pois é… hoje o Brasil tem um déficit bilionário na balança comercial, por conta (não só, é claro) da importação de semicondutores (processadores inclusive) e a China se prepara para suprir seu enorme mercado interno com um produto próprio.

Já falei que vou largar tudo e plantar soja?

[via EETimes]

relacionados


Comentários