Meio Bit » Baú » Indústria » Extensões do Firefox: SHOW ME THE MONEY!

Extensões do Firefox: SHOW ME THE MONEY!

05/08/2008 às 16:37

Quando visitamos as estatísticas de download de algumas extensões do Firefox os números assustam. Humilham qualquer App Store da Apple. Vejamos por exemplo a DownThemAll, um excelente gerenciador de downloads, ótimo para puxar um diretório inteiro de fotos de japinhas cachorrinhos e compartilhar com os amigos.

Média diária de downloads: 33.956.

Total de downloads: 13.714.294

Média de usuários por dia: 1.018.547

TREZE MILHÕES DE DOWNLOADS.

ddallstats

E nem de longe é a extensão mais popular.

Então pergunto: Quantos criadores de extensões do Firefox estão ricos?

O DownThemAll trabalha com doações, que é bonito em teoria mas na prática vira mendicância virtual, e não rende nenhum dinheiro significativo, a não ser que você seja uma Apache Foundation da vida.

Temos aqui talentos sendo desperdiçados, pois na hora que receberem uma boa oferta largarão seu projeto de estimação. É ótimo ter milhões de downloads e uma legião de nerds dizendo que você é um cara legal, mas quando o Seu Barriga bateu na porta cobrando o aluguel, o Linus teve que arrumar emprego na Transmeta para pagar as contas.

O melhor de dois mundos seria programadores ganhando para desenvolver os programas que os tornaram famosos, mas a cultura mundial não colabora. No Brasil já vi "espertos" na lista do Velox-Rio se gabando de ter hackeado um discador criado por outro membro da lista, tido como o melhor do mercado, cuja licença custava... R$12,00.

Não há, para piorar, um modelo de micropagamento. Se o criador do DownThemAll cobrasse US$0,50 pela licença teríamos sete milhões de dólares. Merecidos. Mas o custo de processar esses US$0,50 é tão (artificialmente) alto que não sobraria nada.

Com isso temos uma cultura onde o programador trabalha de graça usando a popularidade como vitrine para conseguir uma boa oferta, e o usuário se acostuma a um mundo gratuito, onde a função do programador é escrever extensões para ele, sem nenhuma contrapartida, e quando alguém fala em COBRAR pelo software ele se empluma como um pavão e passa a defender seu Direito Divino de Mamar do Trabalho Alheio, conforme descrito em uma pedra, no alto de uma montanha. Ou pela Grátis Software Foundation, no entendimento (errado e conveniente) do que seria software livre.

O mais interessante é que o mercado de extensões de navegadores é tão "amaldiçoado" em termos de monetização que nenhuma grande empresa chega perto. às vezes o Google, mesmo assim não dá a mínima atenção.

Será que só quem tira dinheiro desse troço é a Fundação Mozilla?

relacionados


Comentários