Meio Bit » Baú » Internet » Editor do TechCrunch mordido por um StallmanPonte Radioativo

Editor do TechCrunch mordido por um StallmanPonte Radioativo

22/07/2008 às 9:12

Michael Arrington com certeza fumou do cigarrinho do capeta. Por isso escreveu um enorme artigo no TechCrunch propondo, exigindo, cobrando uma espécie de iPod Touch Tablet. Ele descreveu as características desejadas. Vejamos:

  • Webcam embutida
  • USB
  • WIFI
  • 512del>GBMB de RAM (valeu, Eduardo)
  • 4GB SSD
  • Tela Touch
  • Microfone
  • Linux
  • Capaz de rodar Firefox e Skype, IMs, OpenOffice, email, YouTube, etc
  • Fino como um Macbook Air

Ele até renderizou umas idéias:

firefoxtablet

Arrington batizou o bicho de Firefox Tablet e estipulou, no melhor estilo Nicholas Negroponte - OLPC 2 - a Missão - o preço: US$200,00.

Calma que melhora. Ele quer fazer o projeto Open Source, incluindo hardware. Deve estar se baseando na imensa quantidade de projetos bem-sucedidos de hardware Open Source, coomo aquela placa de vídeo Livre, Livre de qualquer inovação presente em placas 3D nos últimos 10 anos.

Basear o produto no Firefox já demonstra a TOTAL falta de familiaridade do sujeito com o mercado de gadgets. Nem a Microsoft faz isso.

Prova de que não é uma boa? SEGUNDO comentário é de um Operatard reclamando, dizendo que o Opera é melhor. Depois teremos o pessoal dos browsers (mais) alternativos, os Freetards reclamando que o projeto é livre então NÃO PODE vir com Flash e Skype, o pessoal do SdruvsIM reclamando que o messenger deles NÃO foi incluído...

Ao mesmo tempo o pessoal do hardware vai descobrir pena 183a vez que sem ESCALA não dá pra fazer hardware barato, e fornecedores não se comprometem a criar novas peças sem um comprometimento pesado em compras.

O preço então já terá passado de US$400.

Então o pessoal das vendas vai descobrir que uma coisa são 500 adolescentes postando "pow, dude, nota dez, eu compro sim". Outra é a mesada dar para comprar o brinquedo.

Começará então a choradeira. Acusarão a Microsoft de não se interessar por um projeto que roda Linux e Software Livre, matando-o com um produto que chegou mais tarde e é inferior, esquecendo que foi um produto que foi ENTREGUE. As grandes cadeias de venda serão acusadas de boicotar o produto, apesar de apenas não quererem vender um produto que ninguém quer.

Os marqueteiros de verdade explicarão em artigos no WSJ que PRIMEIRO você determina o mercado e DEPOIS cria um produto para resolver os problemas daquele mercado, e não solta uma solução à procura de problemas.

Os geeks reclamarão que o processador é lento demais, não roda Crysis nem Spore, outros dirão que não compram pois ele não vem com teclado, e alguém dirá que com o dinheiro de um Firefox Tablet compra um notebook básico, ou um Eee PC da Dell. Os fanboys de diversas distribuições escreverão longos artigos em seus blogs explicando como é simples instalar a SUA distribuição no aparelho mas não comprará uma unidade pois não usam a SUA distribuição e não colaborará com quem não escuta o interesse de seus usuários (ele).

Enquanto isso Steve Jobs, que se lembra do que acontece no mercado e não esqueceu do Audrey, da 3Com continuará rindo e ganhando dinheiro...

Exagerado, o cenário? As analogias estão bem próximas do OLPC e todos sabemos o que aconteceu com o "laptop de US$100,00".

relacionados


Comentários