Meio Bit » Baú » Hardware » USAF faz upgrade: os B2 Stealth chegarão aos anos 90

USAF faz upgrade: os B2 Stealth chegarão aos anos 90

12/07/2008 às 16:45

Para nós é fácil fazer upgrades, passamos em um Edifício Central ou StandCenter, compramos algumas peças xing-ling e pronto. Uma tela azul ou outra não mata ninguém. Mas se você está levando um bilhão de dólares de equipamento, voando sobre o Afeganistão um kernel panic no sistema de navegação pode acabar com seu dia. Por isso tecnologia de sistemas críticos como os militares ou da NASA estão tão atrás dos equipamentos para consumidor final.

O bombardeiro stealth B2 - Spirit por exemplo é um dos aviões mais lindos e letais da história, mas do nosso ponto de vista sua eletrônica é arcaica. Ele foi apresentado publicamente em 1988, e como um projeto desses leva uns 10 anos para sair do papel, dá pra calcular que seu hardware era o estado-da-arte da tecnologia. De 1978.

b2

O B2 não tem capacidade por exemplo de lançar bombas em alvos em movimento, e nos tempos de hoje onde o alvo médio são dois idiotas em um camelo, isso é um problema.

Por isso foi lançado um programa de upgrade. Vão usar peças consideradas de "alto risco" pela Força Aérea, como discos rígidos, as CPUs passarão a ser baseadas no Pentium, e a velocidade de dados pulará de 256Kb para 1Gb.

O Computador de Vôo, responsável por manter o avião no ar (ele é naturalmente instável) foi substituído por uma solução ocupando apenas uma placa. O software do avião inteiro, claro, será reescrito do zero. (aqui é a melhor parte) Feito em JOVIAL, uma linguagem que você nunca ouviu falar, o software do B2 não é exatamente amigável em termos de manutenção, e nem falamos de performance.

Segundo a NorthropGrumman o software será reescrito em "uma mais nova, mais recente linguagem de programação chamada C"

Então vejamos; os caras usam uma linguagem cujo manual deve vir em tabuinhas de argila, um processador mais lento do que o de um telefone moderno e conseguem controlar um mega-avião de mais de US$1 bilhão, voar 10.000Km, atingir alvos do outro lado do planeta e voltar. Já meu cliente de email que não está fazendo absolutamente NADA neste momento ocupa 30 Megabytes de memória?

O hardware pode ser um lixo pelos nossos padrões, mas os programadores desses sistemas críticos são Jedi.

Fonte: The Register

relacionados


Comentários