Meio Bit » Baú » Miscelâneas » GPS perde para mapas e placas, em termos de precisão e tempo

GPS perde para mapas e placas, em termos de precisão e tempo

11/07/2008 às 19:43

Uma experiência (no sentido Mythbusters, não no sentido científico) na Escócia colocou 3 equipes para dirigir por 1600KM, com o objetivo de parar em 12 localidades mais ou menos obscuras, no percorrer do caminho.

Um grupo usou um GPS, outro mapas tradicionais e um terceiro se orientou por placas e pedindo indicação.

No final o time com GPS chegou 1h30min atrás do carro que usou mapas, que por sua vez chegou 1h atrás do carro que usou placas e pediu ajuda aos locais.

A explicação é que o GPS insistia em indicar rotundas inexistentes, sugerir atalhos por estradas lentas quando havia uma rodovia por perto, mandar entrar em ruas sem saída, etc.

Já o time que usou placas e pedia indicações ganhou ao aproveitar a experiência dos habitantes locais, que conheciam os atalhos, caminhos obscuros e principalmente o endereço de lugares como o Drunken Duck Inn.

O GPS começou mesmo a dar problema quando entraram na região montanhosa. Nas Highlands o sinal era perdido toda hora, menos satélites significa menos precisão, e no final o sujeito está caindo de um barranco.

Já aconteceu, temos vários exemplos documentados de motoristas que se deram mal por causa do GPS, mas existe uma ENORME diferença entre pegar uma estrada errada e ISSO:

GPOPS

Confiar em tecnologia é uma coisa, acreditar mais nela do que em seus olhos, não dá.

O GPS tem me servido muito bem, eu já não me perco em SP e os taxistas me odeiam. Ao invés de "sei lá, não sou daqui", respondo a "por onde?" com a rota completa. O Google Maps tem sido excelente, e em conjunto com o GPS, vencedor. Mas nem sempre. Dependendo de onde você esteja na Selva de Pedra, demora muito, muito para o aparelho travar no sinal dos satélites. Outro dia entre sair do metrô no Rio e ir até o hotel onde faria uma entrevista cheguei a pé, olhando placas e o GPS não tinha travado no sinal. Foram quase 10 minutos.

O ideal é trabalhar com o Melhor de Dois Mundos: Complementar as informações do GPS ficando de olho nas placas e na estrada.

Quanto ao experimento, o que me assusta é que o vencedor, que usou placas e perguntou o caminho foi um HOMEM, e nós estamos programados geneticamente para nunca, jamais pedir informações. O Judas traiu a raça totalmente. Todo homem sabe que devemos dirigir entrando em ruas aleatoriamente até achar um ponto de referência familiar, então dizemos pra mulher "viu? Eu sabia onde estávamos".

Fonte: Scotsman.com

relacionados


Comentários