Meio Bit » Baú » Software » Hans Reiser: Julgado culpado por homicídio em primeiro grau

Hans Reiser: Julgado culpado por homicídio em primeiro grau

29/04/2008 às 2:19

Saiu a decisão do Julgamento de Hans Reiser, criador do ReiserFS, acusado de premeditar e matar a ex-esposa. Acusado do crime, ele tomou atitudes que fariam o pai e a madrasta da Isabella parecerem Gênios do Crime, como comprar livros sobre homicídios e andar com o carro com sangue da vítima, sem o banco do passageiro, com sacos de lixo e fita adesiva, etc. Além do carpete recém-lavado.
Como era de se esperar o Juri não engoliu o argumento da defesa de que como todo geek ele era meio distraído e muito ocupado, então não percebeu que poderia estar em atitude suspeita comprando os tais livros, lavando o carro, etc.

Agora Reiser espera a sentença, ela pode pegar de 25 a perpétua.
Quanto ao futuro do ReiserFS, há controvérsias. A Namesys, empresa de Reiser que cuidava do design e implementação do ReiserFS estava à venda, para cobrir os custos do processo, mas ninguém se interessou. Agora a empresa está fora do mercado, segundo Edward Shishkin, um funcionário (ou ex) de Hans Reiser.
O Reiser4, que seria um novo Filesystem criado do zero, não foi incorporado ao kernel do Linux por não seguir os padrões de desenvolvimento Linux (segundo o pessoal do pinguim) ou por razões políticas (segundo Reiser). Mesmo assim o Reiser4 teve investimentos da DARPA e da Linspire. E se a DARPA coloca dinheiro, ou é algo muito sério ou uma besteira completa. Eu fico com a primeira opção.
O fato do Reiser4 ser OpenSource pode não ser o suficiente para que ele sobreviva. Não por um julgamento moral associando Hans ao software, ou a piadas questionáveis dizendo que o Reiser4 é uma killer-application, ou que foi renomeado para OJ_FS, e sim por Hans Reiser ser uma figura controversa mas com muita personalidade, que sempre tocou pessoalmente seus projetos.
Para o bem ou para o mal, projetos personalistas e restaurantes só funcionam com o dono por perto.
De resto, é só esperar o episódio de Lei e Ordem sobre o caso.
Fonte: San Francisco Chronicle

relacionados


Comentários