Meio Bit » Baú » Hardware » Ensinando padre a rezar missa, digo, usar GPS

Ensinando padre a rezar missa, digo, usar GPS

24/04/2008 às 15:19

Um dos fatos mais inacreditáveis na inacreditável história do Padre Voador Adelir de Carli, que está tentando viajar de balões de Paranaguá,PR até Dourados, MS via Malvinas não é que a sumidade teológica levou um telefone por satélite SEM bateria reserva e um GPS SEM saber utilizar o aparelho.

O mais inacreditável é que ele não tenha TENTADO usar o GPS, sendo que o uso em questão se resumia a LIGAR o aparelho. Não estamos falando de rotas, mapas, recálculo de posição, nada. Bastava que ele apertasse UM botão, esperasse o aparelho sincronizar com os satélites, LER as informações na tela e repeti-las via telefone para os bombeiros. Mas Darwin falou mais alto.

Com medo de que uma dessas situações desagradáveis aconteça comigo (virar padre OU me perder em uma cadeira presa a balões no meio do oceano, ambas acabariam com meu dia) resolvi testar um modelo simples de GPS Bluetooth. Vejamos adiante como foi a experiência:

O modelo testado foi o BT-338, da Globalsat. É minúsculo, vem com uma bateria de 1700mAh que dura uma eternidade, 17 horas, e só tem um botão. Utilizando o protocolo SIRF-III, funciona mesmo dentro de veículos e alguns prédios.

A comunicação é feita via Bluetooth, o que dispensa cabos e conectores proprietários. O protocolo utilizado é o NMEA-0183, o que torna o aparelho completamente agnóstico. Não há drivers, qualquer computador, celular ou PDA que utilize Bluetooth pode se comunicar com o BT-338.

O GPS foi testado com um computador, com um telefone Nokia 6600 e com um Smartphone HTC Touch. Vamos falar apenas do último, por questões de espaço.

No Windows Mobile há dois meios de conectar um GPS Bluetooth. Direto, acessando uma porta de hardware mapeada, ou indiretamente, através do Gerenciador de GPS do Sistema Operacional. Essa última opção é a preferível, pois permite que mais de um programa acesse o GPS ao mesmo tempo.

Iniciando a Conexão

Não há mistério. Após ligar o aparelho, basta iniciar um programa que utilize GPS, se tudo estiver corretamente configurado ele começará a cuspir dados para o Windows Mobile. No caso começamos com o VisualGPSce, um freeware bem simpático.Escolhendo a opção "Connect", o bicho já começa a funcionar, e caímos na primeira tela:

Note como o GPS dá a intensidade do sinal. São 10 satélites conectáveis, 6 em uso e nossa latitude e longitude, com 4 casas decimais.Essa é a tela que a maioria dos receptores de GPS mostraria, e tudo que nosso amigo padre precisaria para ser resgatado.

Se ele quisesse mais precisão, poderia acessar a aba Azimuth / Elevação, e teria:

Que tal? Indicação de velocidade, altitude, direção e velocidade vertical.Um painel deinstrumentos que torna mais segura qualquer cadeira de lona presa a balões. Mesmo se recursos avançados de rota, sabendo que está voando a XX Km/h na direção YY, e caindo ZZ metros por minuto, seria simples estimar o ponto de queda, e avisar via telefone as autoridades.

Também temos telas de controle de satélites e estatísticas de uso.

O GPS também pode ser acessado pelo Google Maps, bastando selecionar a opção "Usar GPS", no menu menu. A rigor o Google Maps pode funcionar apenas via AGPS, triangulando o sinal das torres de telefonia celular, mas vamos comparar a precisão de uma localização AGPS com uma GPS "de verdade":

Se você solicitar que o Google Maps trace uma rota, é possível definir que o começo (ou o fim) é a localização atual via GPS.

No caso tentamos refazer a rota pretendida do Padre Voador. O resultado é quase instantâneo, após breve consulta aos servidores do Google:

Notem que o Google não considerou o breve desvio pelas Malvinas.

O Google Maps é muito bom para localização em ambiente urbano, mas é muito limitado, não chega aos pés de programas como o Destinator ou o Route 66. Infelizmente os programas realmente bons são bem caros, os mapas do Brasil raros e não há nenhuma solução Open Source que chegue aos pés.



Route 66 para Windows Mobile

Conclusão: Embora seja mais um gadget a carregar, incluindo mais um recarregador, o GPS Bluetooth é uma excelente aquisição se você quer se proteger de seus gadgets se tornarem obsoletos. Se você tem mais de um gadget (GPS + Smartphone + laptop) a relação custo/benefício é imbatível. São US$45,99 que poderão salvar sua vida. Se você for esperto o bastante para ler este artigo ANTES de embarcar em uma aventura temerária.

Como ponto negativo, a dificuldade de conseguir programas cons a preços realistas. O Route 66 por exemplo custa, para o Brasil, US$299,00.

relacionados


Comentários