Meio Bit » Baú » Software » O que fazer quando você herda uma batata quente: recuperando sistemas do CTI

O que fazer quando você herda uma batata quente: recuperando sistemas do CTI

08/04/2008 às 4:17

A carreira em TI é desafiadora pois a todo momento surgem novas tecnologias e desafios. E um dos maiores desafios que um profissional pode encontrar é um projeto órfão que precisa ser terminado por motivos contratuais, mas tornou-se um estorvo para a empresa.

Ao longo dos anos, é fácil encontrar uma série de projetos com esses problemas em maior ou menor nível. Não sou um especialista em gerência de projetos, mas basta usar o bom senso para ver quando algo está absolutamente abandonado e a bomba cai justamente no seu colo. O único jeito é arregaçar as mangas e e evitar os erros cometidos anteriormente.

Existem algumas dicas para identificar se o pequeno "Papah Cuhas Teiro" foi designado a você:

- O marketing diz que o projeto é importante para a imagem da empresa: traduzindo, já está no prejuízo e precisa terminar a bodega logo;
- A gerência diz que o sisteminha está quase pronto e que só precisa de uns acertos, mas avisa que precisa dar um gás porque o cliente é chato. Traduzindo: já levaram tantas comidas de rabo do cliente que não há mais margens para erro e agora você é bola da vez;
- O gerente original do projeto não é o mesmo gerente atual;
- O desenvolvedor responsável está indo para outro projeto;
- Você é o terceiro ou quarto a assumir o sistema;
- Não há documentação que faça sentido ou seja útil: "documentoless";
- Quando alguém ouve o nome do projeto que você está assumindo e ri, prepare-se para dores de cabeça;
- Ao conversar com o cliente, ou ignoram você ou dizem que não tem tempo para conversar: até o cliente abandonou o projeto.

É muito complicado tirar um projeto do CTI. Normalmente, requer um comprometimento maior do profissional, ou seja, horas extras não-pagas. Mas se não há mais margem para erros e escolheram você, é porque confiam na sua competência. O melhor remédio sempre é a prevenção, mas nesse caso, tudo o que poderia dar errado, já aconteceu. A empresa precisa cumprir um contrato para evitar problemas na justiça e afetar a própria imagem no mercado.

A primeira coisa a se fazer, é esquecer metodologias de software. Nenhuma delas irá funcionar. Jogar fora o que já foi feito também não adianta, pois os custos já podem ter extrapolado o bom senso. É hora de apelar para o pragmatismo e descartar tudo o que não é essencial e focar no que realmente importa para fazer o sistema funcionar. Levante um histórico do projeto, releia o contrato, se o mesmo existe e converse com os envolvidos. Alguns sistemas páram de ser desenvolvidos porque os profissionais que detinham o expertise saíram do emprego.

Converse com o cliente para entender o negócio e a motivação do projeto, se possível. Veja quem detém o conhecimento de como o software deveria funcionar. Descubra quem são os responsáveis pela homologação e testes. Fale diretamente com essas pessoas por telefone, ou melhor ainda, pessoalmente. Nessas horas, e-mails são horríveis e nunca resolvem nada: fica um encaminhado e copiando o outro, num bate-boca sem fim.

Moral do Post:

- Projetos problemáticos exigem medidas drásticas: não tenha medo de criticar e agitar. Muitos projetos dão errado porque todos seguem uma mesma forma de trabalhar, como por exemplo: "o cliente não respondeu os meus 10 e-mails que eu mandei, desde a semana passada." ou "Telefonei e não me atendem, liguei 2 vezes, prometeram retornar e nada." Não aceite nada disso! Ligue 20 vezes e não tenha medo de educadamente chamar a atenção do cliente. Diga que você foi designado especialmente para resolver o problema e que precisa da colaboração de todos;
- Analise o código, veja quais são os maiores furos e peça ajuda! Assumir problemas sozinho não adianta. Projetos no CTI precisam que você tome atitudes, muitas vezes, antipáticas: chame a atenção para o problema e tente conseguir mais ajuda, mesmo que por breves períodos de tempo.
- Se querem realmente que o monstrinho seja entregue, crie uma força-tarefa, mesmo que por algumas horas durante a semana ou no Sábado;
- Marque reuniões presenciais ou por conferência e use o telefone. NADA de e-mails: não existe forma mais fácil de ignorar e fechar o canal de comunicação;
- Quem não tem expertise para programar, pode ajudar testando. Se a empresa não possui profissionais de teste, use os designers, estagiários e gerentes para usar o programa e reportar bugs. Uma forma simples é descrever o que estava fazendo e tirar uma impressão de tela. Juntar tudo num documento e mandar para um único desenvolvedor.
- Instigue as pessoas e seja o cara mais chato da face da Terra até tirar o projeto do CTI. Não tenha medo em chamar um gerente ou diretor para conversar. Documente, por e-mail, com cópia para as pessoas certas, todas as tarefas sendo efetuadas.
- Crie uma planilha de erros e resoluções, para manter o trabalho fluindo e não deixar duas pessoas resolvendo o mesmo problema.

Existem várias maneiras de resolver projetos problemáticos, mas repare que um dos maiores problemas surgem por falta de comunicação. A primeira atitude é certificar-se que estão todos na mesma página. Até a próxima.

Fonte: Bicalho's Memory About Fraked Up Projects

relacionados


Comentários