Meio Bit » Baú » Internet » Você confia na Wikipedia ?

Você confia na Wikipedia ?

O Internet Explorer 8 beta 1, lançado recentemente, possui alguns novos recursos interessantes.Dentre eles a possibilidade de, rapidamente, selecionar uma palavra e buscar sua definição na enciclopédia Encarta on-line:

Porque a Encarta? Porquê ela é associada ao portal MSN, que por consequência é da Bill & Ballmer's. Lógico que,

08/03/2008 às 16:25

O Internet Explorer 8 beta 1, lançado recentemente, possui alguns novos recursos interessantes.Dentre eles a possibilidade de, rapidamente, selecionar uma palavra e buscar sua definição na enciclopédia Encarta on-line:

Porque a Encarta? Porquê ela é associada ao portal MSN, que por consequência é da Bill & Ballmer's. Lógico que, num browser da MS, estaria presente um produto da MS, por padrão.Mas, cá pensei (e duvido que os freetards não pensaram): Porque não a wikipedia?A wikipedia é um projeto fantástico. Típica iniciativa com ideais stallman-based que deu certo. Serve até para terminar namoro. Por que não ela como default?Me ocorreu que talvez, a wikipedia ainda não seja aceita plenamente devido a sua própria natureza anárquica: O conteúdo é enviado por qualquer um, o filtro existe, porém as vezes falha e não há um parâmetro confiável para se medir a confiabilidade das informações publicadas, a não ser fontes retiradas da própria web, que correm o risco de não serem confiáveis também.

Tal característica da wikipedia provoca certas discrepâncias inaceitáveis, que inviabilizam sua afirmação como fonte de informação de confiança. Como exemplo, eu cito o verbete, da própria wikipedia, sobre o governante chinês Mao Tse Tung:Verbete sobre Mao Tse-tung na wikipedia em portuguêsVerbete sobre Mao Tse-tung na wikipedia em inglêsÉ normal a wikipedia em português apresentar artigos muito menos densos do que a em inglês; porém, a análise não é vista por este ângulo, neste caso. Para quem leu os dois artigos, nota-se que o verbete de Mao na wikipédia em português SEQUER CITA o fato de que o ditador chinês mandou executar, segundo as melhores estimativas, pelo menos 800 mil pessoas durante o seu governo. Não se trata de um resumo. Não se trata de omissão. Trata-se de má-fé mesmo.

Vamos imaginar que a chata boba e feia união européia freetard resolva invocar com o monopolio da Encarta no sistema do IE8, e exija que opções sejam dadas. Uma delas será a wikipedia, por exemplo. E, que aquele aluno da oitava série esteja procurando um local aprazível para que possa copiar e colar aquele trabalho de história: Cai neste artigo do Mao na wikipedia em português. Vai aprender lá que o Mao era um grande lider revolucionário pacifista, semi-herói, poeta nas horas vagas, que foi injustiçado pelo governo chinês.Fanboyzice existe em todas as áreas do conhecimento humano, e até aí é normal. Que todos tenham pelo menos a hombridade de não ficar em cima do muro e escolher um lado e defendê-lo. O problema é quando isso começa a virar referência. Um plugin destes no browser mais usado no mundo, apontando para a wikipedia, poderia causar um desastre em alguém que está aprendendo história.Há aquele 'ditado': "Leu na Veja e viu no JN, azar seu".

Estou começando a pensar que a wikipedia talvez possa começar a figurar neste seleto hall dos veículos de difusão da informação que sofrem questionamentos.Porém, é um direito claro de escolha. Mediante tal possibilidade, e pensando que, para certas coisas a wikipedia ainda serve, disponibilizo aqui os add-ons que fiz para serem usados no IE8, na parte da enciclopedia: 'Define with wikipedia' e 'Undefine with Desciclopedia'. Não tem spyware, é só um XML com as instruções para o IE8 fazer o redirecionamento.

Fica a pergunta: Você acredita e aceita como verdade, usa como fonte, ou endossa, as informações que lê na wikipedia?Como conciliar a fantástica ferramenta da wiki com a não tão fantástica mente humana ?Exclusivo para a horta de salsinhas:Sim, estou generalizando. Nem todos os artigos da wikipedia são ruins ou trazem desinformação. Porém, basta um para questionar-se a viabilidade do método.

relacionados


Comentários