Meio Bit » Baú » Games » Fundador fala sobre a frustração pela falência da 38 Studios

Fundador fala sobre a frustração pela falência da 38 Studios

Fundador da 38 Studios conta em entrevista sobre a decepção por ter falhado no comando da desenvovledora.

16/08/2013 às 16:00

kingdom-of-amalur

De uns anos para cá temos visto uma grande quantidade de estúdios fechando as portas e algo que muitos gamers não se dão conta é na quantidade de pessoas que podem ter suas vidas profundamente afetadas por causa disso. Caso você nunca tenha pensado neste lado, a entrevista concedida por Curt Schilling ao The Boston Globe é um belo exemplo de como o menos importante nesses casos é o futuro das franquias que gostamos.

Ex-jogador de baseball e fundador da 38 Studios, Schilling falou sobre o ataque cardíaco que teve alguns meses antes da empresa fechar e afirmou que tirando problemas pessoais como a morte de seu pai, a falência da desenvolvedora foi a coisa mais devastadora que já lhe aconteceu.

Foi tão difícil, porque eu insisti, insisti, insisti. Eu tinha 300 famílias das quais tinha que cuidar, incluindo a minha própria e eu falhei. E eu perdi muito em minha vida, mas nunca havia falhado em nada. Eu queria vencer, mas não pude fazer isso.

Para Schilling, um dos principais culpados pelo fechamento do estúdio foi Lincoln Chafee, governador do estado de Rhode Island que não teria lhes ajudado quando precisaram, o que é um tanto estranho, já que a empresa deixou para trás uma dívida de US$ 100 milhões que foram emprestados pelo governo.

O fato é que a falência da 38 Studios aconteceu por uma série de decisões equivocadas e a principal delas parece ter sido mesmo a aposta na criação de um jogo de grande porte já de cara, no caso o Kingdoms of Amalur: Reckoning e que mostrou que mesmo tendo sido bem recebido pela crítica, foi incapaz de vender o suficiente para recuperar um investimento tão alto. Que fique portanto o exemplo para outros milionários que estejam pensando em arriscar numa indústria extremamente competitiva e que não costuma dar espaço para erros.

[via Massively]

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários