Meio Bit » Arquivos » Games » Eu abro embalagens lacradas

Eu abro embalagens lacradas

Você tem medo de rasgar o lacre delas? Apresentamos algumas dicas para manter conservadas as caixas dos consoles e jogos.

02/08/2013 às 15:15

F-Zero lacrado: ERA LACRADO.

F-Zero lacrado: ERA LACRADO.

Estes artigos para o Meio Bit estão virando um verdadeiro confessionário, e depois desta provavelmente terei que mudar de endereço e ficar anônimo por algum tempo, dada a horda de colecionadores de prateleira furiosos a minha procura. Sim, de fato eu abro as embalagens originais. Nada na minha prateleira está lacrado, qualquer coisa que caia em minhas famintas mãos de colecionador será sumariamente aberta, analisada, brincada, judiada e descartada. Não, isso também não que sou louco, mas não insano.

Reação dos colecionadores de prateleira à primeira imagem.

Acho uma heresia sem tamanho coleções de caixas fechadas. Simplesmente são produtos que nunca cumprirão com o seu objetivo. Brinquedos que nunca brincarão, filmes que nunca serão vistos, videogames que nunca serão jogados e por aí vai. Um despropósito sem tamanho. Sim, meu melhor amigo é o estilete. Adoro abrir uma caixa nova, pegar o que está dentro, analisar minuciosamente, brincar, jogar, ler, assistir. Depois sim, volta para a embalagem, preservada da melhor forma possível e vai enfeitar minha prateleira. Mas só depois de cumprir com seu papel primordial, fazer meu dia mais feliz.

As bordas são as que mais sofrem.

As bordas são as que mais sofrem.

É claro que eu pago um preço por isso e em geral as caixas abertas sofrem mais com o passar do tempo acumulando todo tipo de marcas de batalhas travadas contras as intempéries, poeira, sol, produtos de limpeza e empregadas descuidadas. Sem contar aqueles itens que já se compra usados e com caixas próximas do colapso. Dá pra recuperar aquelas mais detonadas? Não, mas dá pra dar um bom tapa no visual, então vamos por partes.

Ah, essa vida de Maria não é fácil.

Ah, essa vida de Maria não é fácil.

Uma das coisas mais fáceis de serem danificadas ao abrir um produto que o contenha é o isopor. Em oitenta por cento dos casos, ao comprar produtos usados, ou ele não está presente, ou está danificado ou está sujo. Nos dois primeiros casos simplesmente não há o que fazer até que alguém invente uma impressora 3D para peças em isopor (oh, wait). Caso a peça esteja simplesmente suja, lembre-se do mantra para qualquer coisa suja: O VEJA MULTIUSO É SEU AMIGO. Detergente neutro também. Apenas lembre-se de pegar leve, use a parte amarela da esponja e muita água. Sua esposa vai adorar te ver bancando a faxineira e você pode até ganhar alguns pontos. Não, pera, esse sou eu.

Cola velha, problema em dobro.

Cola velha, problema em dobro.

Bom, as pobres das caixas é que seguram toda a porrada mesmo, então é normal que ela seja a mais judiada. A primeira coisa a fazer é remover totalmente qualquer fita adesiva. Inclusive, se existisse apenas uma regra para preservar caixas seria esta, nada de fita adesiva, durex, ou o diabo que te carregue com cola ácida. Com o tempo a cola presente nesses materiais, geralmente de má qualidade, tende a soltar. Essas colas são extremamente ácidas e elas inevitavelmente passam para o papel, formando manchas indesejáveis de retirada extremamente difícil. Para retirar, tenha muito cuidado. Se precisar de ajuda, utilize álcool e em casos extremos, quando a cola chega a secar e marcar a caixa, utilize tira grude (depois eu passo a conta do jabá). O removedor de grude é para as caixas o que o limpa contatos é para as placas de circuito impresso.

Se você precisar reforçar a estrutura da caixa internamente, use papel 120g e cola PVA pois a cola normal não é suficiente, tomando o cuidado de espalhar bem a cola e não utilizar demais. Depois de colar o papel internamente, deixe secar por cerca de 4 horas preferencialmente debaixo de algum peso.

Sanduíche de caixa: TOALHA, CAIXA, TOALHA.

Sanduíche de caixa: TOALHA, CAIXA, TOALHA.

Caixas com dobras e amassados podem ser consertadas usando um truque simples. Faça um sanduíche com a caixa desmontada: toalha, caixa, toalha e passe por alguns segundos a parte dobrada com ferro de passar à vapor regulado em temperatura média. O resultado é surpreendente.

Quanto aos danos estruturais como rasgos, a maioria pode ser consertada facilmente com cola comum. Aqui depende mais do bom senso e da paciência. Escolha o que deseja reparar e vá alinhando e aplicando cola devagar até chegar ao melhor resultado. Nem tudo pode ser refeito, mas pode-se chegar a resultados muito bons. Outra dica é usar graxa de calçados líquida (tá, é o Nugget, som de moedas.) nas partes pretas da caixa que perderam a cor, o resultado é muito bom. Para finalizar, passe silicone por toda a superfície externa, para dar aquele brilho. Agora já pode juntar sua caixa de engraxate e voltar pra a calçada em frente ao barbeiro.

Pobre, mas limpinho.

Pobre, mas limpinho.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários