Meio Bit » Arquivos » Demais assuntos » Um Android que caça Alienígenas, cura câncer e combate AIDS? Sim, existe!

Um Android que caça Alienígenas, cura câncer e combate AIDS? Sim, existe!

Que tal doar processamento desperdiçado de seu celular para pesquisas em áreas nobres como AIDS, Câncer, Astronomia e busca por Aliens? Agora com o BOINC para Android é possível!

23/07/2013 às 19:00

oinc

Em 1999 um programinha chamou a atenção da então nascente Internet: Se chamava [email protected] Em essência era um cliente de computação distribuída, que quebrava um problema grande em milhares de pequenas unidades computacionais. Essas unidades eram processadas remotamente e enviadas para um servidor.

A idéia era genialmente simples: Seu computador a maior parte do tempo não está fazendo nada de útil. Enquanto você digita um texto a CPU fica em 5%. Os 95% que sobram poderiam ser usados para outras coisas, como pesquisar por vida extra-terrestre.

Com o sucesso do [email protected], surgiram outros serviços, inclusive o BOINC, para o qual o SETI acabou migrando. O BOINC permite que você escolha qual projeto irá ajudar, doando CPU. Pode ser identificando objetos celestes, no [email protected], pode ser modelando proteínas ou combatendo AIDS, no [email protected].

A desvantagem do BOINC é que até hoje ele era restrito ao desktop, mas agora isso mudou. Está disponível no Google Play o cliente Android (2.3+).

“Ah, mas não vou comer minha bateria com esse negócio, dane-se câncer, não vou ficar sem Instagram”

Calma, tudo foi pensado. Você pode configurar um monte de limitações, como por exemplo só deixar o bicho rodar quando conectado na tomada, ou quando a bateria estiver acima de um percentual, ou somente quando estiver conectado via WIFI. O objetivo não é drenar seu celular, mas fazer uso dele quando ele não está em uso, sem atrapalhar a sua vida.

Como hoje em dia qualquer celular DualCore é milhares de vezes mais rápido que as máquinas movidas a carvão dos Anos 90, o benefício potencial é muito maior. Em 2007 o BlueGene/L da IBM era o supercomputador mais rápido do mundo, custando milhões e calculando a 596 teraflop/s. Hoje o [email protected], com 152 mil usuários ativos, gera uma capacidade de processamento de 505 teraflop/s. Imagine quando entrar o Android…

Fonte: EG.

relacionados


Comentários