Meio Bit » Baú » Internet » Não se fazem cyberterroristas como antigamente

Não se fazem cyberterroristas como antigamente

16/01/2008 às 15:01

cyberterrorista.jpg

Em outubro de 2005 a Scotland Yard prendeu Younes Tsouli, um "gênio" de 19 anos, morando em Londres, que decidiu montar uma estrutura online apoiando a Al Qaeda, Osama Bin Laden, Saddam Hussein e provavelmente King Jon Il e o Darkadarkistão.

Ele usava o codinome "Irhabi 007", sendo que "irhabi" é "terrorista", em farsi. Ele criava sites exaltando atentados, disponibilizava vídeos de sequestros e execuções, o de sempre. Além disso gerenciava um fórum de extremistas com mais de 4500 membros, contendo instruções de como fazer explosivos e dicas de como ir ao Iraque para se tornar homem-bomba. (dica #5 - compre somente a passagem de ida, sai mais barato)

O melhor de tudo: Mexendo nos arquivos de seu computador, a polícia descobriu que ele registrou um domínio chamado YOUBOMBIT.

Então, vejamos: Usar a rede do próprio país estrangeiro onde você está morando; usar um codinome que quer dizer "terrorista" e "espião", manter arquivos detalhados de tudo que você faz, registrar domínios com nomes suspeitos e fazer isso tudo de sua própria casa. Esqueci alguma coisa ou ele conseguiu fazer TUDO errado?

Dica do Cardoso: Se você quer brincar de espião, tenha a decência de LER um livro ou assistir UM filme de espião em sua vida.

Younes Tsouli teve sua pena de 10 anos aumentada para 16, mês passado, e sua captura levou à prisão de terroristas pelo mundo todo. Só no Canadá foram 17.

PS: Ele está com o rosto levemente machucado na imagem, pois escorregou ao descer do carro da polícia, quando foi levado para a chefatura.

Fonte: BBC, Daily Mail

relacionados


Comentários