Meio Bit » Baú » Games » Governo chinês estuda acabar formalmente com o banimento dos videogames

Governo chinês estuda acabar formalmente com o banimento dos videogames

Governo chinês vai permitir que fabricantes vendam seus consoles na China desde que se instalem em Xangai e submetam seus games à classificação do governo

10/07/2013 às 11:30

Loja de videogames na China

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, a China mesmo sendo fabricante de consoles de videogame legalmente não pode consumí-los. O governo chinês baniu o comércio e produção de consoles em 2000, "atendendo o clamor da população que temia que os jovens chineses desperdiçassem suas vidas nos videogames".

Entretanto essa proibição é mais no papel do que efetiva, já que existem diversas lojas que vendem consoles locais ou contrabandeados, em sua maioria variações piratas dos videogames tradicionais. Mesmo a Nintendo lançou o iQue Player, um console barato em conjunto com um engenheiro local, a fim de driblar a proibição. Isso sem considerar o ecossistema de games para PC.

Entretanto o governo estaria estudando por fim ao banimento de forma oficial, segundo notícia do South China Morning Post. De acordo com documentos, o glorioso governo popular da China permitiria que Sony, Microsoft e Nintendo comercializassem seus produtos internamente mediante transferência de suas fábricas para Xangai, que o governo define hoje como "zona livre", e ainda assim os games serão submetidos às autoridades dos Ministério da Cultura local, a fim de que os games não sejam demasiadamente violentos ou, mais provável, contenha material subversivo.

Como o desejo é ganhar dinheiro, não creio muito que as empresas irão se opor a esse movimento do governo chinês. Procuradas, Sony e Microsoft admitiram que o mercado interno da China é interessante e estão estudando como proceder. Como a Zona Livre de Xangai é um projeto fortemente apoiado pelo premiê Li Keqiang como forma de tornar o mercado chinês mais atraente para o mundo, o mais provável é que não só as fabricantes de videogames aceitem como outras empresas também, desde que as vantagens compensem.

Fonte: SCMP via Polygon.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários