Meio Bit » Baú » Demais assuntos » Não é milagre, é Ciência

Não é milagre, é Ciência

Encostar um aparelho no peito, apertar um botão e “curar” Parkinson avançado. Magia? Star Trek? Não, ciência.

28/06/2013 às 20:00

As doenças degenerativas estão entre as mais cruéis respostas da Natureza ao discurso simplista de que o Homem é o ápice da criação, perfeito e acabado.

mccoy2

Nossa coluna é um lixo, mal-adaptada para andar ereto. Nossa visão é um verdadeiro pato, faz tudo mal, e nosso sistema imunológico é uma coleção de gambiarras que funciona bem mas se torna suscetível a milhares de doenças autoimunes, exceto Lúpus.

A complexidade do nosso cérebro não o preparou para durar muito, os avanços científicos aumentaram a longevidade e o resultado foram doenças praticamente inexistentes nos bons e velhos tempos onde todos morríamos com 30 anos, sem nem precisar ir pro Carrossel. Alzheimer, Parkinson, Demência e tantas outras, que destroem a qualidade de vida matando nossa mente.

Parkinson é particularmente cruel, pois vai minando o controle motor, afetando inclusive fala, respiração e músculos associados com a digestão. Não há cura e o prognóstico é piorar, mas a medicação consegue estabilizar os piores sintomas na grande maioria dos pacientes. Outros, quando não reagem aos remédios ou já estão em um estágio avançado, eram obrigados a conviver com a doença.

A situação era tão desesperadora que pesquisas com pacientes humanos foram liberadas, cirurgias experimentais foram feitas e em 2002 o FDA aprovou o uso de Estimulação Cerebral Profunda para tratamento de Parkinson.

A cirurgia não é nada trivial, envolve introduzir (epa!) eletrodos em áreas profundas do cérebro, ligando-os a um marcapasso cerebral que monitora a atividade elétrica e envia impulsos para anular os sinais motores descontrolados. Os resultados foram impressionantes, e é até uma bela lição de humildade o cérebro humano, a estrutura mais complexa do Universo conhecido, ser enganado por uns choquinhos.

Neste vídeo, Andrew Johnson, paciente do pior tipo de Parkinson, aquele que surge com o sujeito ainda jovem, demonstra seu implante. É assustador ver como imediatamente após desligar o marcapasso seu cérebro entra em colapso e começa a mandar sinais aleatórios pra musculatura. Qualquer pessoa com um mínimo de compaixão pensa “ok, chega, liga de novo, LIGA DE NOVO!”

Não é uma cura. Não sabemos o que causa Parkinson, e na verdade não sabemos sequer os detalhes do funcionamento da Estimulação Cerebral Profunda, só sabemos que funciona, e garante qualidade de vida para gente que, 20 anos atrás estaria considerando seriamente eutanásia.

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários