Meio Bit » Baú » Indústria » Carreira em TI: Trabalhando fora do Brasil

Carreira em TI: Trabalhando fora do Brasil

17/12/2007 às 4:55

Carrreira Seguindo a série de artigos sobre a Carreira em TI, vou agora comentar um pouco sobre o mercado global: que bons locais existem hoje para trabalhar fora do Brasil? Quais as qualidades mais apreciadas no estrangeiro? O que pesar quando decidir sair do País?

Começo citando uma reportagem da “The Economist” de outubro 2007, que destacou o crescimento de Singapura. Segundo a reportagem, o país está crescendo a uma taxa de 9.4%, e não só tem um dos melhores sistemas educativos da Ásia, mas também um governo que quer crescer e está trabalhando para isso. Singapura, como outros países asiáticos, está em crescente desenvolvimento, e precisa de mão-de-obra qualificada. TI não fica fora desta demanda. China e Índia são também opções na Ásia; a Índia em particular, principalmente porque vários pólos de R&D (Research & Development) estão sendo montados lá.

Falando da Europa, destaco a Inglaterra, Espanha, Polônia, Alemanha e Irlanda. A Inglaterra contém várias das grandes empresas mundiais: IBM, Oracle, Unilever, BAT, Accenture, Microsoft, SAP e outras; a maioria tendo grandes escritórios/sedes em Londres, ou cidades próximas. A Alemanha, precisamente em Frankfurt, também sedia grandes escritórios das empresas citadas anteriormente. A Espanha contém centros de excelência em engenharia e tecnologia de TI e também concentra os chamados “Delivery Centers” de várias consultorias. Irlanda e Polônia também contém grandes “Delivery Centers”, estes mais focados em projetos de desenvolvimento de software, e são uma boa opção para arquitetos e desenvolvedores.

Nas Américas, o Canadá é uma opção, pois existe demanda para profissionais por lá, principalmente com experiência em SAP e desenvolvimento de software em J2EE e .NET. Inclusive o governo canadense facilita a entrada de imigrantes para trabalho, devido a falta de mão-de-obra. Nos Estados Unidos, a carência também existe e em todas as áreas: desenvolvimento, infra-estrutura, redes, etc. Outro país com demanda é a Argentina; consultorias como IBM, Accenture e Deloitte estão montando centros de excelência globais na Argentina, em função da mão-de-obra (mais barata do que no Brasil), facilidades de suporte à região da América Latina (língua espanhola) e o fuso horário com a América do Norte.

Porém, o que é preciso para se mudar? Não que seja impossível, mas é bem difícil chamar atenção sem nenhum curso superior, ou um mestrado, doutorado, ou uma certificação respeitada e, não menos importante, experiência relevante em determinada área. Faça a pergunta: que qualidades eu tenho, que um americano, canadense, ou outro profissional local não tem? O que eu posso trazer de benefício para a empresa, que ela não consiga com um profissional local? Pois você não sai de graça, a empresa além de contratar você, tem que pagar ao governo para você ter o direito de trabalhar no país.

Também fica difícil querer sair sem saber inglês, ou algumas vezes, sem saber a língua local. Contudo, existe algo também extremamente importante, que é o seu objetivo em sair do país. O que você procura? Aprimorar a língua? Fazer carreira fora? Ficar um tempo, e depois voltar para o Brasil? Mudar de país não é simples e nem fácil. Requer um esforço grande e uma determinação e objetividade fora da média.

Considere vários pontos ao pensar em sair do Brasil: o que quero fazer lá fora? Estudar? Ganhar experiência? Quero montar minha vida e seguir carreira fora do Brasil? Já vi muito executivos saírem do Brasil com a cabeça em não voltar e depois retornarem, pois não querem viver longe da família. Família...não esqueça nunca este ponto, principalmente se você for casado. Tomem as decisões juntos. Mesmo que somente um esteja sendo transferido e o outro sendo acompanhante, faça com que seu projeto seja benéfico para você e sua família. Assim você faz com que ela esteja cada vez mais presente com você em sua empreitada. E acredite em mim, você vai precisar dela mais do que você imagina.

Qualquer que seja o seu objetivo, ir e ficar, ou ir e voltar, aproveite o máximo a sua estada para adquirir conhecimento, experiência, tirar certificados e fazer cursos. Pois tudo isso, mais a sua experiência de vida, será um grande diferencial de mercado quando você voltar ou se quiser ficar.

relacionados


Comentários