Meio Bit » Baú » Games » Para John Riccitiello, smartphones e tablets não matarão os consoles

Para John Riccitiello, smartphones e tablets não matarão os consoles

Ex-presidente da EA disse acreditar que smartphones e tablets não conseguirão matar os consoles e deu dicas de como mantê-los relevantes.

21/05/2013 às 9:45

John-Riccitiello_21.05.13

Enquanto curte suas “férias” após ter deixado a Electronic Arts, John Riccitiello escreveu um artigo para o blog Kotaku onde fala um pouco sobre o que espera para o futuro dos jogos eletrônicos e um dos pontos mencionados por ele diz respeito as especulações de que os consoles não conseguirão competir com os smartphones e tablets.

Segundo o executivo, essas plataformas podem coexistir, mas deixou claro que após tanto tempo sem uma nova geração, está na hora da atual ficar para trás. Além disso, algo extremamente importante tanto para Microsoft quanto para a Sony é fazer com que seus novos consoles sejam focados nos games, com todas as outras experiências de entretenimento vindo em segundo lugar.

Se vocês ainda estão debatendo se os jogos para celulares e tablets irão matar a próxima geração de consoles antes deles serem lançados, a minha resposta é não.

Outras mudanças sugeridas por Riccitiello para que os consoles se mantenham relevantes são um preço de lançamento inferior ao que vimos na atual geração, um maior investimento por parte das fabricantes para garantir que poderão competir com a cadeia de suprimentos de empresas como a Apple e a Samsung, além de evitar sistemas de DRM que incomodem os jogadores e oferecer aparelhos que sejam mais abertos aos desenvolvedores.

Apesar de nunca ter acredito na ideia de que um dia deixaremos de sentar diante da TV para jogar, eu confesso que me agrada muito pensar em um tablet que tenha a potência de um videogame de mesa e que possa ser jogado com um joystick enquanto ele está conectado a televisão. Se isso um dia existirá, eu não sei a resposta, mas se acontecer eu não lamentaria a morte dos consoles da maneira como os conhecemos.

relacionados


Comentários