Meio Bit » Arquivos » Indústria » Depois a Microsoft que é ruim

Depois a Microsoft que é ruim

02/10/2007 às 15:55

É impressionante a capacidade que algumas empresas apresentam de tomar atitudes burras. Curioso é que dentre eles sempre há as que parecem usar cobertura de Teflon. Quem está de fora sempre acha que são boazinhas.

Vejam por exemplo a gloriosa IBM, queridinha do pessoal do software livre.

Hoje um consultor foi trabalhar na IBM Brasil. Ligou seu notebook na rede. O cliente de auditoria do Tivoli varreu o computador do consultor.

Detectou software ilegal e bloqueou o acesso. O caso está sob investigação e o consultor sequer sabe se receberá o salário.

Qual o software ilegal?

Firefox.

Isso mesmo. A IBM alega que a licença do Firefox não permite que ele seja usado por consultores terceirizados na empresa, mas funcionários podem utilizá-lo.

O software também detectou outro programa ilegal: Java. No caso a JRE 1.6 da Sun.

Ele só pode ter instalado em seu notebook (notem o possessivo SEU notebook, que ELE comprou) a JRE 1.3, homologada pela IBM, uns 4 anos atrás.

Impressionante, não? Pelo visto a eficiência da IBM, que ajudou na identificação de judeus indesejáveis (na época, um pleonasmo) na Alemanha Nazista continua funcionando a serviço da exclusão e perseguição.

Enquanto isso em Redmond se o sujeito quiser um Macintosh, basta dar um telefonema pra área de TI.

Fonte: Garganta Profunda

relacionados


Comentários