Meio Bit » Baú » Games » Jogador se ofende por batismo no BioShock Infinite e Valve devolve dinheiro

Jogador se ofende por batismo no BioShock Infinite e Valve devolve dinheiro

Após se ver forçado a participar de batismo no BioShock Infinite, jogador se nega a continuar e pede devolução do dinheiro.

18/04/2013 às 10:00

bioshock-infinite_18.04.13

Caso você ainda não tenha começado a jogar o BioShock Infinite, saiba que logo nos primeiros minutos o protagonista é obrigado a passar por um batismo para pode prosseguir na aventura. Para a maioria dos jogadores a cena não incomodou, mas para Breen Malmberg, não poder evitar aquela situação foi demais e por isso ele decidiu parar de jogar e acionar o suporte da Valve, pedindo o estorno do valor pago pelo jogo.

Como a política de devolução do Steam costuma ser bastante inflexível, era de se imaginar que a loja não daria atenção ao rapaz, mas de maneira surpreendente eles teriam aberto uma exceção e para provavelmente para evitar maiores problemas, atenderam ao pedido, o que por sinal pode servir como um perigo precedente.

Como o batismo do Espírito Santo é o centro do cristianismo – do qual sou um crente devoto – Eu basicamente fui forçado a fazer uma escolha entre cometer uma blasfêmia extrema por minhas ações em aceitar essa ‘opção’ ou forçado a parar de jogar antes mesmo de começar,” explicou Malmberg, que citou como exemplo a fase do aeroporto do Call of Duty: Modern Warfare 2, onde podemos optar por não atirar em civis.

Vale citar que em janeiro passado Ken Levine admitiu ter alterado alguns trechos do jogo para evitar que eles não fossem ofensivos e tal decisão foi tomada depois que o game designer conversou com alguns membros da equipe que possuíam um forte passado religioso. Na ocasião ele afirmou que aquilo serviu para entender o motivo das pessoas ficarem incomodadas com algumas coisas.

Quem acompanha meus textos há algum tempo sabe que nunca expressei minha opinião sobre religião neles ou me envolvi em discussão sobre o assunto, simplesmente porque acho que não cabe a mim questionar a crença dos outros, portanto, acho que o Sr. Malmberg está no seu direito de não ter gostado da sequência e só espero que ele siga essa postura no seu dia-a-dia, pois imagino que não será fazendo isso apenas em um mundo virtual que sua alma será salva.

[via Polygon]

relacionados


Comentários