Meio Bit » Baú » Fotografia » Câmera resiste 6 anos no fundo do mar

Câmera resiste 6 anos no fundo do mar

27/03/2013 às 13:44

Tudo bem, essa é mais uma daquelas histórias que não vai mudar sua vida, mas é interessante de conhecer. Muito se fala sobre a resistência e durabilidade de câmeras fotográficas e cartões de memória. Embora a maioria dos consumidores fique agitado para trocar de câmeras o mais rápido possível e estar sempre com o lançamento mais recente, as câmeras são objetos que tendem a durar muito tempo. Ainda encontro pessoas se divertindo e fotografando com câmeras com mais de 05 anos de idade (uma eternidade dentro da Era Digital). Cartões de memória é outro ponto interessante. Seis ou sete anos atrás era comum ver um brinquedo desses dando problema. Muitos amigos entraram em sérios problemas por perder imagens importantes e surgiu nessa época o costume de ter vários cartões pequenos para não gravar todas as fotos em um mesmo local. Hoje em dia isso tem mudado e faz muito tempo que não ouço uma reclamação de cartão de memória com problema (pelo menos os de marcas confiáveis).

Câmera resiste 6 anos no fundo do mar

Agora, provando que esses equipamentos não são frágeis, temos esse “causo” que foi publicado hoje pelo Dpreview. Em 2007, Lindsay Scallion, da Georgia (USA), estava mergulhando no Havaí com sua Canon Powershot (não falam o modelo) em uma caixa estanque, quando a câmera foi perdida por conta do mar agitado. A proprietária do equipamento voltou ao mesmo local no outro dia para procurar a câmera, mas não teve sorte. Triste, mas conformada com o ocorrido, a moça voltou para casa e esqueceu o acontecido. Porém, em 2013, um funcionário da empresa China Airlines encontrou a câmera na costa de Taiwan (uma bela viagem pelas correntes do mar) e, por mais incrível que pareça, com o cartão de memória intacto. A aparência do equipamento não é nada boa, mas depois de 06 anos no mar até que está tudo muito bom. Verdadeira prova de qualidade, da eficiência e durabilidade da caixa estanque.

Através dos dados do Exif das imagens (hora e data), dos registros de um operador de barcos na ilha e do departamento de turismo do Havaí foi possível identificar Lindsay Scallion como a proprietária do equipamento e tentar promover o reencontro entre ela e sua câmera. Segundo ela a surpresa "trouxe de volta algumas memórias boas, e algumas fotos que eu tinha esquecido que eu tinha tirado. Foi ótimo ". Mais uma história bacana que prova a durabilidade da tecnologia.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários