Meio Bit » Baú » Fotografia » E o CD faz 25 anos com corpinho de DVD

E o CD faz 25 anos com corpinho de DVD

19/08/2007 às 12:14

meiobit-cdplayer.jpg

Em 31 de Agosto de 1982 um anúncio em conjunto feito em Tóquio pela Sony, Sony/CBS, Philips e Polygram comunicava ao mundo o lançamento do Compact Disct. Foi uma revolução, pois o mundo não via nenhuma grande novidade desde a introdução dos primeiros LPs em estéreo, no ano de 1958. O CD era novo, caro e dividiu o mundo.

Antes disso, no dia 17 de Agosto, em uma fábrica perto de Hanover, Alemanha, a Philips prensava o primeiro CD, The Visitors, do Abba. Em Novembro, quando os aparelhos começaram a ser vendidos, havia 150 títulos disponíveis. Em 1983 já eram 1000. Em 85 o Dire Straits foi escolhido para promover o formato, lançando seu álbum Brothers in Arms como o primeiro inteiramente digital, DDD.

Era comum achar uma indicação nos CDs, AAD, ADD, DAD. É o chamado Código SPARS, As letras indicam se o CD foi gravado, mixado e masterizado digitalmente. O ideal seriam 3 Ds, indicaria, em teoria, que o ouvinte teria a melhor qualidade possível

Os audiófilos torciam o nariz, dizendo que o som do CD era um lixo, o consumidor comum queria mas não podia, o consumidor cheio da grana fazia fila para comprar.

O modelo da Sony, o CDP-101, mostrado na foto, custava US$900,00 - ou, em dólares de hoje, US$1924,96.

Em 1988 as vendas de CD superaram as de LPs.

Vários formatos derivados do CD tentaram se lançar mas não conseguiram, como o CDi e o HDCD. Hoje o máximo que temos são CDs híbridos, com trilhas de dados para você acessar no computador, mas dificilmente o valor agregado desse material compensa o trabalho de abrir o drive e colocar o CD dentro.

Dizem que o CD morreu, que o futuro é o MP3. Eu acredito na segunda parte. Na primeira, dificilmente. Pode ser para geeks incorrigíveis que andem por aí com seus iPods, mas a maioria da população continua muito bem, obrigado, tocando suas músicas em qualquer CD Player portátil de R$50,00. Isso se não achar mais barato no camelô. Acho que o CD vai ser muito mais duro de matar (tm Bruce Willis) do que o LP, que já foi um osso duro, quase num nível Chuck Norris.

Fontes: Sony History, eCoustics.com

relacionados


Comentários