Meio Bit » Baú » Internet » Jet Lag — O que é, como prevenir e tratar

Jet Lag — O que é, como prevenir e tratar

O Jet Lag é uma fadiga provocada pela diferença entre fusos horários em viagens de longa duração. Saiba as formas de prevenir e tratar o desconforto.

13/03/2013 às 15:47

Nota do autor: aos amigos leitores que não curtem um texto extremamente pessoal, peço desculpas pelo artigo que vocês lerão (ou não). Todavia, não encontrei nenhuma outra forma de escrever sobre “os efeitos do jet lag” sem ligar diretamente com a minha experiência ocorrida nos últimos dias.

Jet Lag

Jet Lag

O jet lag é uma descompensação horária, uma fadiga de viagem provocada como consequência de uma viagem longa através de fusos horários diferentes e/ou diversos fusos horários. Os sintomas do jet lag são quase imperceptíveis para uma viagem no Brasil, tendo em vista que mesmo tendo três fusos horários, a diferença é de apenas uma hora: nossos fusos horários são UTC -4, UTC -3 e UTC-2. O UTC -3 é o oficial, ou seja, o horário de Brasília. O UTC -2 é o oficial no horário de verão e o UTC-4 é o fuso horário da Região Norte (Amazonas, Amapá, entre outros estados): a diferença seria de uma hora para cima ou uma hora para baixo, exceto em horário de verão que em determinadas regiões, a diferença poderá chegar a duas horas para cima.

O problema é quando a distância é enorme e os fusos horários também. Uma viagem de Los Angeles (só citarei mais esta vez, prometo!) para Miami demora cerca de cinco horas e a diferença são de três fusos horários para menos (UTC -8 para UTC -5). Como o máximo de tempo em que passei em fuso horário diferente foi de um mês, me “expor” a uma quase cinco meses de um fuso horário diferente e “mudar” tudo de um dia para outro provocou diversos efeitos “colaterais”. O mesmo ocorreu quando eu viajei de Miami para Recife, passando nos fusos horários UTC -5, UTC -4 e UTC -3 (lembrando que eu viajei no sábado, mas cheguei no domingo. E no domingo os Estados Unidos entrou no daylight, algo como o nosso “horário de verão”, aumentando uma hora em todos os fusos horários americanos).

Os sintomas percebidos são fadiga, insônia (muita), ansiedade, constipação, diarréia, confusão, desidratação, dores de cabeça, irritabilidade, náuseas, suor em excesso, problemas de coordenação, tontura e até perda de memória. Pessoalmente o que mais me incomodou foi a desidratação. Três dias após a viagem, ainda estou "um pouco" sofrendo com isso. A sede é quase incessante, lembrando diabetes (espero que não seja também!).

Diferenças entre fusos horário

Diferenças entre fusos horários

E existe também uma diferença se você viaja para o leste ou oeste, como pode ser observado na imagem acima.

Apesar de ser algo normal de se acontecer (eu nunca tive, até domingo), existem formas de prevenir e de ajudar o corpo a se adaptar (ou re-adaptar). Para ajudar ou minimizar os efeitos do jet lag, as dicas são:

  1. Manter-se em forma – Obviamente essa dica é válida para quase todas as doenças. Manter-se saudável e em forma lhe traz diversos benefícios e previne diversas doenças (essa é uma dica que eu estou tentando seguir).
  2. Vá ao médico – Eu sempre procuro recorrer a uma ajuda profissional. Eles podem recomendar remédios (para os que não querem/podem esperar) ou formas naturais de reduzir os efeitos.
  3. Mude seu horário – Seria meio que uma forma de "desviciar" o corpo. Antes de viajar, você poderá começar a "reduzir" o horário em seu dia-a-dia. Isso é válido para tudo, exceto para horários em que você precisa cumprir de forma "fiel" (escola, faculdade, trabalho). E é quase impraticável caso a mudança de fuso seja de mais de 12 horas para cima ou para baixo.
  4. Evite álcool – Não beber no dia anterior, no dia e no dia seguinte da viagem. Álcool provoca desidratação.
  5. Evite cafeína – A mesma dica que o número 4. Cafeína provoca desidratação.
  6. Beba água, muita água – Beba muita água, especialmente durante o voo.
  7. Caminhe no avião – Exceto em voos com bastante turbulência, é bem recomendado que você ande de um lado por outro no avião. Isso pode prevenir não apenas os efeitos do jet lag, como problemas de circulação.
  8. Vista roupas confortáveis – Passar quase 16 horas de viagem como uma roupa desconfortável não é a melhor forma de viajar.
  9. Use medicamentos para dormir de forma controlada – Só viajo com tarja preta. Não, não é especificamente para dormir, mas por causa do meu trastorno de ansiedade. Particularmente recomendo para quem faz viagens com mais de cinco horas de duração tomar medicamentos para dormir. Obviamente que apenas sob recomendação de um profissional.

Em 2010 foi falado de uma droga para minimizar os efeitos do jet lag chamada longdaysin, derivada da purina. O problema é que é quase impossível encontrar algo mais recente sobre a droga e o preço do composto custa R$ 478 para 5 mg. Outros estudiosos e médicos gostam do tasimelteon e a melatonina (hormônio produzido por diversos animais e plantas, inclusive nos humanos).

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários