Meio Bit » Baú » Indústria » Testamos o Passbook da TAM. Funcionou quase 100%

Testamos o Passbook da TAM. Funcionou quase 100%

23/02/2013 às 20:58

IMG_3180 Quando a Apple anunciou o Passbook a idéia pareceu (e ainda parece) excelente: Uma aplicação agregando todos os seus cartões de afiliados, programas de milhares, entradas de cinema, cartão do Starbucks e … cartões de embarque.

Infelizmente o Passbook cai no dilema Tostines: Ninguém usa o Passbook pois não há nenhuma empresa oferecendo serviço pra ele, e ninguém oferece serviço pra ele pois ninguém usa. Na civilização o negócio mal ou bem está andando, mas aqui ele era só um ícone inútil ocupando espaço na tela do iPhone, igual ao Maps.

Agora a TAM resolveu quebrar o ciclo e lançou o serviço de cartão de embarque via Passbook, agregando-o à outras opções, como SMS e email.

O processo é MUITO simples. Basta fazer o checkin pelo celular e, ao final, escolher a opção “Salvar Passbook”.

Conhecendo minha sorte de aranha, fiz o teste já dentro do aeroporto, com mais de uma hora de antecedência, com tempo para resolver qualquer problema. Isso ativou a Lei de Murphy Inversa, e tudo correu perfeitamente bem.

A App do Passbook abriu, o código de barras estava lá, todos os dados corretos, era hora de ir pro embarque. A dona moça que escaneia os cartões de embarque estranhou, mas olhou com um ar de “lembro vagamente de terem me avisado de algo assim”. Passou o scanner, o bicho apitou, beleza.

Na hora do embarque a moça da TAM conferiu meu nome no documento e também deu uma travada diante do iPhone. Uma fração de segundo, tempo de relembrar do treinamento, olhar o nome e o assento, me mandar seguir enquanto digitava algo no terminal.

Já dentro do avião, estou calmamente esperando a decolagem quando o pior que poderia acontecer comigo, a coisa que mais temo depois de sentar do lado de Ted Striker aconteceu: Um comissário veio até minha fileira: “O senhor é o senhor Carlos Cardoso? O senhor lembra se entregou o ticket?

FERROU! Outro dia, outro gordo expulso de avião. Já imaginei a cena, me enxotariam e o comissário explicaria aos outros: “NO TICKET!”

lastcrusade_noticket

Aí lembrei: Puxei o iPhone, mesmo sem tirar do mute ligar e disse “usei o cartão de embarque eletrônico”.

Satisfeito o comissário foi embora e eu pude respirar alihomoafetivo.

Se foi um caso extraordinário, fruto da própria novidade do Passbook, excelente. Nota 10 total ao serviço, eu que não sou dessas ecofrescuras acho a não-utilização de papel muito mais eficiente, imprimir um ticket que vai ser útil por 10 minutos nunca fez muito sentido.

Normalmente essas transições demoram, no princípio das vendas de ingressos online em alguns cinemas você tinha que entrar na fila comum e então retirar o ingresso. Já tive compras online onde cheguei na loja e tive que preencher os mesmos formulários. Talvez por isso mesmo esteja desconfiado, a experiência em si, mesmo com a exagerada dramatização do episódio do ticket, foi muito boa.

Espero que a o Passbook seja adotado pelas outras empresas, e rápido.

relacionados


Comentários