Meio Bit » Baú » Fotografia » Sony-Ericsson prevê a morte do iPod em dois anos

Sony-Ericsson prevê a morte do iPod em dois anos

21/07/2007 às 9:40

Não só dos iPods, como dos players dedicados de áudio em geral. Ao menos foi o que Victor Fredell, gerente de aquisição de conteúdo da Sony Ericsson disse.

Não vou tão longe quanto dizer que os players dedicados de áudio estão mortos, mas definitivamente digo que eles não existirão em dois anos. Não na forma que existem hoje.

Em outras palavras, ele previu a morte de tudo que seja portátil e toque áudio digital, e não seja um telefone.

Perfeito, faz todo o sentido. Se você é uma empresa de telefones celulares que está tentando entrar no mercado de áudio digital. Os números em teoria os apóiam. A SE já vendeu mais de 20 milhões de celulares de sua linha Walkman. Só que por outro lado as vendas diretas de músicas via celular são pífias, assim como o percentual de usuários desses aparelhos que efetivamente escutam músicas neles.

No Reino Unido de todos os Sony-Ericsson W850i, um aparelho vendido com todo o marketing em cima de sua capacidade de tocador de áudio, somente 67% foram efetivamente usados para ouvir música. Imagine se 33% dos donos de uma máquina digital não a usassem para tirar fotos. Você ainda consideraria "um sucesso", e decretaria o fim dos modelos analógicos?

E que tal se somarmos todo o mercado de celulares? Estudos da M:Metrics mostram que nos Estados Unidos somente 2.9% dos usuários já ouviu música digital em seus celulares. 0.7% já fizeram download de uma música para o aparelho. No Reino Unido os números sobem para 12,2% e 2,7%, respectivamente. Ainda muito, muito pouco para que a plataforma celular enterre o iPod, ou mesmo os xing-lings.

A razão mais uma vez cai na usabilidade. Operadoras fazem o possível para dificultar a nossa vida, os fabricantes não se decidem em padrões, os programas nos aparelhos em geral são muito ruins -de vez em quando uso o Nokia N80 para ouvir música mas a interface é um lixo- e transferir MP3 ou CDs para os aparelhos é algo próximo de impossível para um leigo. A Nokia por exemplo instala uns 8 programas diferentes em sua máquina, incluindo o Nokia Music Manager 2.0, uma aplicação que faria o mais radical zelote anti-Apple amar o iTunes.

meiobit-nokiamusicmanager.jpg

Nokia Music Manager - não que dê pra managear muita coisa

Enquanto o iPhone, o iPod, o Zen e até os Xing-Lings da Santa Ifigênia forem mais simples do que um Walkman Music Phone dedicado, enquanto as iniciativas de levar música aos celulares forem tão patéticas quando o iTunes para celular - com seu limite de 100 músicas - não creio que seja hora para matar os players dedicados.

Via TechDigest

relacionados


Comentários