Meio Bit » Baú » Hardware » Power to the People

Power to the People

09/01/2013 às 23:59

mrfusion

Há um outro consenso na CES, além de touch: São baterias auxiliares para celulares. Vão de kits minúsculos a tijolos que garantem uma semana de recargas diárias. Há até células de combustível, utilizando metanol para produção de eletricidade.

TODOS os produtos são muito bem-vindos, pois se há algo que nunca é demais, é energia. Todo dono de celular sempre fala a mesma coisa: Na primeira semana, “Bateria do XXX é excelente!” Dali em diante, “Caceta, estou saindo de casa com 70% de bateria, ferrou”.

Sei que todos dizemos que as baterias atuais são horríveis e não acompanharam o desenvolvimento tecnológico, mas em verdade elas evoluíram muito. As exigências de energia de um Nokia 3320 da vida eram pífias, era tranquilo segurar uma semana em stand by. Complicado querer o mesmo quando o poder de computação no celular é maior que o do desktop de muita gente.

O que não aconteceu foi a tecnologia de baterias evoluir para acompanhar as exigências dos equipamentos, e por mais que toda semana surja uma nova e revolucionária tecnologia, até agora nem cheiro de chegarem ao mercado.

A solução não está em tornar a bateria mais potente. O melhor é tornar a carga dela ubíqua.

Eu não vejo com bons olhos a tecnologia de carga por indução, usada pela Nokia e alguns Androids. É uma questão ideológica, a perda de energia nesse tipo de carga é muito grande. É desperdício. Só que talvez seja algo com que tenhamos que conviver.

Sendo realista, o custo de carregar um celular é MUITO baixo. Um iPhone carregado todo dia durante três anos acumula uma conta de energia de R$2,52. Se o custo de carga por indução for 5 vezes isso, ainda é uma quantia ínfima.

Com a carga de bateria via indução se tornando algo padronizado, posso vislumbrar restaurantes com áreas de carga nas mesas, podem até ser meses especiais onde você pague R$1,00 a mais, e possa deixar seu celular chupando energia, sem precisar de cabos, adaptadores e tomadas.

Cadeiras especiais poderiam vir com bobinas de carga, assim seu celular pegaria alguns volts enquanto você espera ser atendido no dentista.

Se toda mesa de escritório, bar e restaurante se todo porta-trecos de carro tiver carregadores indutivos, as chances do celular ficar sem carro carga são bem menores. Deixaremos de nos preocupar com a quantidade de carga armazenada, do mesmo jeito que um carro com gasolina na reserva, em uma cidade grande não é nada para se arrancar os cabelos. Sempre há um posto por perto.

Até lá, claro, viva as baterias auxiliares, seja da CES, seja da Deal Extreme!

relacionados


Comentários