Meio Bit » Baú » Mobile » A grande, imensa e preocupante falha do iPhone–que ninguém comenta.

A grande, imensa e preocupante falha do iPhone–que ninguém comenta.

02/01/2013 às 22:09

oag3

Essa semana, qual o finado Marcos Paulo, Danilo Gentili estava pucto. Muito. Aparentemente uma louca resolveu estalkeá-lo no melhor estilo Glenn Close, conseguiu o celular e ligava dezenas de vezes por hora.

Ele acabou escrevendo um post relatando o caso, era impressionante. Não conseguia mais usar o despertador, por não podia deixar o celular ligado. Atender e pedir pra mulher parar de encher o saco, não adiantava.

Danilo não foi o primeiro a ser vitima de stalkers. Esse tipo de doido existe desde sempre. Identificador de chamadas ajudou muito a diminuir as ocorrências, eu mesmo já consegui demitir um vigilante que ligava de madrugada para minha casa, dizendo que estava carcando minha namorada. Teria mais credibilidade se ele não dissesse que estava com ela no motel ao mesmo tempo em que eu a observava dormindo no sofá da sala. Claro, podia ser um holograma, mulher é fogo.

Quando os celulares tornaram padrão identificador de chamadas, os trotes e ligações indesejadas praticamente sumiram, mas os stalkers continuam. Não se importam, eles querem ser conhecidos.

No tempo do Symbian havia um bom grupo de aplicações para gerenciar chamadas. Era possível só receber ligações de números na agenda, bloquear ligações de números não-identificados, responder com SMS, tom de ocupado e muito mais.

Uma das melhores soluções era o Advanced Call Manager, que existe para Android. Call Blocker – X Advance (Pro) é outro que parece promissor. Só que como o Gentili descobriu, não existe NADA disso para iPhones.

A compartimentalização da plataforma não permite que a maioria dos processos sofra alteração por intermédio das aplicações. O ato de receber uma chamada precisa ser gerenciado pela aplicação padrão, do começo ao fim.

Isso é ótimo em termos de consistência de interface e segurança, mas como todo processo baseado em polyannismo e ingenuidade só funciona se todo mundo for bonzinho.

É exatamente o que você leu: Se um louco ou louca cismar de te passar trotes o dia inteiro, não há NADA que você possa fazer além de desligar seu iPhone. Há uma boa parcela de culpa das operadoras, que não fazem NADA nem oferecem recurso nenhum para filtrar esse tipo de ligação, mas a maior parte da culpa é da Apple.

Se há um motivo legítimo para fazer jailbreak no iPhone é a instalação de um gerenciador de chamadas desses. Uma busca rápida retorna o iBlacklist, que parece ser bom o suficiente para significar a diferença entre manter a sanidade ou ser obrigado a comprar um Android.

Mesmo sem o extremo de ter stalker para gerenciar, é multo útil por exemplo restringir ligações ao entrar em um cinema para só receber chamadas de números importantes, por exemplo. Ou nas férias só estar disponível para um ou outro número do trabalho.

Essa flexibilidade que até o Symbian tinha é algo que faz falta SIM no iPhone, e ao contrário de um monte de recursos de fofoletização de interface poderia coexistir com o modelo minimalista do celular, só sendo acessado por uma minoria. Infelizmente a Apple não quer assim.

relacionados


Comentários