Meio Bit » Arquivos » Games » Para criador do Amnesia, violência não torna um jogo maduro

Para criador do Amnesia, violência não torna um jogo maduro

01/11/2012 às 16:00

dori_manht_29.10.12

O que faz com que um jogo possa ser considerado adulto? Muitos diriam que violência em doses cavalares seria um dos ingredientes, mas para Thomas Grip, um dos responsáveis pelo elogiadíssimo Amnesia: the Dark Descent, o que os jogos precisam é deixar de tentar agradar a todas as faixas etárias.

Pegue qualquer grande lançamento e o conceito principal desse jogo é algo que uma pessoa de dez anos poderia aproveitar. Isso quer dizer que qualquer jogo que eu possa aproveitar hoje poderia ter aproveitado quando tinha essa idade.

Na verdade, essa busca por atingir a maturidade é um problema em muitos jogos em que você adiciona sangue, palavrões e uma paleta de cores acinzentadas, pensando que isso torna a experiência mais adulta, mas apenas acaba tornando o jogo mias infantil.

Para tentar ilustrar seu ponto de vista, Grip cita os filmes e músicas que não gostávamos quando éramos crianças, mas que hoje adoramos e por isso o segredo estaria na utilização de elementos nos games que só seriam apreciados por pessoas mais velhas, como um enredo, por exemplo, que deixasse um moleque de 12 anos entediado, algo que a Frictional Games espera conseguir implementar em breve.

Para o nosso próximo jogo queremos ter mais pensamentos sobre o que está acontecendo e unir as coisas para que se o jogador pensar sobre elas, leve as coisas adiante. Então queremos que essas camadas adicionais da jogabilidade realmente se infiltrem sob a pele do jogador. Isso também permitirá que certos assuntos façam com que o jogador pense sobre coisas que normalmente não pensariam.

Talvez eu esteja enganado, mas acredito que ele esteja se referindo a jogos como o Dear Esther e que na minha opinião se trata de um conceito interessante, mas que infelizmente me parece um estilo voltado para um público bastante específico. Portanto, não consigo imaginar uma grande quantidade de lançamentos que, seguindo a visão de Grip, possam ser considerados títulos realmente adultos.

[via PCGamer]

relacionados


Comentários