Meio Bit » Baú » Mobile » Review RAZR i: Android combina com Intel?

Review RAZR i: Android combina com Intel?

Testamos o RAZR i, o primeiro smartphone Intel a ser vendido no Brasil.

22/10/2012 às 7:00

O RAZR i é um aparelho muito interessante, não apenas pelo seu design que traz um display de 4.3" em um aparelho bem pequeno, mas especialmente por ser o primeiro smartphone com processador Intel a ser vendido no Brasil.

Mas será que a arquitetura pouco usual não trouxe problemas? É isso que vamos conferir nesse review.

Design

Se no RAZR XT910 a Motorola fez o máximo para diminuir a espessura do aparelho, aqui eles fizeram o mesmo esforço para diminuir as (enormes) bordas do antigo RAZR.
E o resultado foi bom: O RAZR i é apenas 2mm mais largo que o iPhone 5, a despeito da tela maior. Aliás, mesmo tendo a tela maior, as bordas diminutas fazem com que seja fácil alcançar os cantos, mesmo usando o aparelho com uma mão só.

Além da traseira de Kevlar que já é tradição na linha RAZR, o RAZR i tem o corpo feito de plástico bastante resistente e há uma moldura de alumínio ao redor da tela. O acabamento é bom e os parafusos visíveis ao redor do aparelho ajudam a dar um ar de solidez.

Em uma das laterais do aparelho há a entrada microUSB e uma tampa que dá acesso aos slots para microSD e microSIM. Do outro lado, os botões de liga-desliga, volume e o botão da câmera - que aliás, é bem sensível: Foram várias as vezes em que fui pegar o aparelho do bolso e acionei a câmera sem querer.

Uma curiosidade é que o RAZR i compartilha o design com um gêmeo ARM, o RAZR M. Isso parece um ótimo case para a Intel: Não só mostra que é possível usar o Atom mesmo num form-factor mais compacto, mas que também não faz diferença entre usar ele ou algum processador ARM.

Hardware

Além do processador Atom Z2480 de 1GHz, o RAZR i conta com 1GB de memória RAM, 8GB de armazenamento (5GB disponíveis para o usuário) e câmera de 8MP.

A tela continua sendo a mesma AMOLED PenTile de 4.3" e 960x540 pixels usada no RAZR e RAZR MAXX.
Pra mim, é o maior ponto fraco do aparelho. Graças ao esquema PenTile, dá pra notar alguma distorção em fontes menores e dá pra notar amarelos e roxos em fundos brancos.

Mas muita gente - tanto "leigos" quanto entendidos de tecnologia - falam bem da mesma tela... Talvez eu que esteja sendo "o chato das telas"...
Só acho que a tela seria melhor se ao menos a resolução fosse maior ou deixassem o PenTile de lado. Fica difícil não compará-la com a do Xperia P...

Nos benchmarks, o RAZR i não desaponta. No GeekBench foram 1003 pontos, bastante próximo do RAZR MAXX (que teve 1015 pontos).
Mas curiosamente, no Quadrant Benchmark, a pontuação foi bem acima do MAXX: 4318 pontos conta 2785. Aparentemente, a diferença se explica pelo maior desempenho do RAZR i nos testes de memória.

A bateria tem boa duração... Com meu uso habitual (nada muito pesado, 3G e WiFi ligados, twitter, leituras no Google Reader e Instapaper e algum uso do Google Maps e Foursquare), a bateria dura cerca de 11 horas e meia.
Com um uso mais pesado, incluindo música e jogos (GTA III e Bad Piggies), a bateria não chegou a durar 7 horas em uma mesma carga...

Software

Se o RAZR MAXX já vinha com o Android com relativamente poucas customizações, o RAZR i vem com o Ice Cream Sandwich praticamente limpo.
As mudanças são poucas e bem úteis, como a tela de configurações rápidas que fica à esquerda da home screen ou o widget "Círculos", com relógio, previsão de tempo e nível da bateria.
Praticamente todos os aplicativos do Google já vem pré-instalados, incluindo o Google+ e o Google Drive. A mudança do player da Motorola para o Google Music é boa, mas sinto falta da integração com o TuneWiki para busca de letras e com o last.fm....

Mas acho que a maior dúvida em relação ao RAZR i é sobre a compatibilidade com os aplicativos Android...
Instalei vários dos aplicativos - launchers, teclados alternativos, jogos - em busca de algum que tivesse problemas, mas surpreendentemente não achei nada.
Ironicamente, depois de muito testar aplicativos de terceiros, fui achar problemas no QuickOffice - que vem pré-instalado no aparelho.
A entrada de texto ficava bastante lenta, ao ponto de ficar esperando os caracteres que você digitou aparecerem na tela. Depois de digitar alguns parágrafos, o aplicativo fechou do nada e com ele se foi tudo que havia digitado. Espero que um update saia logo...

Câmera

Pela qualidade das imagens, a câmera de 8MP não impressiona muito, mas as opções de disparo dão alguma ajuda. Ainda que muita gente não seja fã do resultado, o modo HDR melhora bastante as fotos - tanto que acabava o deixando ligado por padrão.

E pra quem quem achava que as luzes roxas são exclusividade do telefone da maçã...

O grande destaque da câmera é o modo "Burst", que tira 10 fotos em um segundo.. Para tirar fotos em movimento (ou de bebês e animais inquietos), é bastante útil.

Vale a pena?

O RAZR i é um bom aparelho... O hardware é bem rápido, a qualidade de construção é boa e só deixam a desejar a qualidade da tela e a câmera. Ainda assim, são detalhes que podem passar desapercebidos pela maioria.
Surpreendentemente para um estreante, mal se nota que há um processador Intel ali dentro. Desempenho e duração da bateria estão de acordo com qualquer equivalente equipado com um processador ARM.
Pelos R$1299 sugeridos (mas dá pra achar por R$1160 ou até menos por aí), o RAZR i tem um ótimo custo/benefício.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários